Publicado em Eu li..., Tem filme!

{eu li} Divergente, Insurgente e Convergente – Veronica Roth

divergente 2

Comecei  escrever esse post de madrugada, porque precisava escrever o que achei se não nem ia conseguir dormir. Enquanto estou pensando em como falar sem contar spoilers, vou contando que comecei a ler essa série por culpa da minha irmã Maria Luísa (16 anos). Estávamos as duas na casa do meu pai, e o livro lá dando sopa, folheei algumas páginas, quando vi já tinham lido umas 30, e só não trouxe o livro para casa porque ela disse que meu irmão ia ler. Quando cheguei em casa, já fui baixando e colocando ele no kobo. Desde então não parei mais, até às 2h20 am de hoje… Também já sei que o filme vai estrear dia 17, sabia que tava perto mais não o quanto, eba!

É, é a vida de quem lê, alguns livros simplesmente vem parar nas suas mãos sem você dar nada por eles… E você se surpreende, ainda bem!

divregente livroSinopse
Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

O primeiro livro, começa cheio de surpresas e desafios, escolher a Audácia se mostra bem mais desafiador do que Beatrice esperava, assustador e até um pouco louco, com métodos criticáveis o grupo não é do tipo que aceita um novo membro. Nesse caminho tortuoso ela descobre muito sobre si mesma, habilidades e um altruísmo que ela não tinha. Mas o livro não é só sobre ela, é sobre uma gama de personagens que vão do céu ao inferno e que tem que enfrentar suas próprias escolhas, escolhas que não tem volta e outras que tem mas que deixam cicatrizes para sempre. Aos poucos a autora nos leva por falhas muito humanas, falhas que já conhecemos, como o fato de segregarmos pessoas todo dia achando que enquanto está tudo bem, é o único jeito. Ou pior vendo que não está tudo bem. No mundo de Tris as mentiras também são como uma teia, e muitos agem não pelo “bem comum” como deveriam, mas por ambição e poder. Alguém nota alguma semelhança? Em Divergente, pensar por si mesmo pode ser perigoso e como vemos nas guerras, pessoas inocentes não são a prioridade. Quem gosta de uma boa ação, uma narrativa que não da para parar de ler, que tem um impacto atrás do outro, não pode deixar de ler. A linguagem da autora as vezes é bem simples e ela usa a palavra clavícula 11 vezes num espaço muito curto de páginas (rs, não sei como é em inglês), mas a história é muito boa.

Vamos combinar assim? Quem ainda não leu o primeiro livro para de ler aqui, e pular para a parte dos extras.

“Não tenho lar, nem caminho, nem certezas. Não sou mais a Tris, a altruísta, ou a Tris a corajosa. Acho que agora terei que me tornar mais do que as duas coisas.”

INSURGENTE_1359738948P

Sinopse
O dia da iniciação de Tris  Prior deveria ter sido de comemoração, vitória e cheio de emoção por ter ficado  em primeiro lugar na classe de iniciação da sua facção,  Audácia. Em vez disso, o dia termina em horríveis e inexplicáveis ataques por meio das simulações da facção Erudição, e enquanto Tris sobrevive graças a sua Divergência, muitos que ela ama, não. Guerra agora parece inevitável. Embora os membros da Audácia tenham sido livres do controle mental da Erudição, o conflito entre as facções e sua ideologias está apenas começando. E nessa guerra, lados devem ser escolhidos, segredos vão surgir, e as escolhas se tornarão ainda mais irrevogáveis – e ainda mais poderosas. Transformada por suas próprias decisões, mas também pela dor assombrada, novas descobertas radicais, e uma romance que se aprofundou rapidamente, Tris deve aceitar plenamente sua Divergência, mesmo que ela não saiba o que pode perder se fizer isso.

Insurgente é um excelente livro do meio, nele as coisas começam a explodir de vez, e as mentiras a aparecer. Tris não é perigosa por ser diferente, mas sim por ser desconfiada. Ter um bom desconfiômetro como diz minha mãe é vital, no livro é um jeito de sobreviver. Não se pode reagir sem pensar, e acreditar no mais fácil e deixar de seguir seus instintos. O livro traz muitos perdões necessários, muitas mágoas e reviravoltas. E uma grande busca pela verdade, que pode ser dura mas ainda é o melhor caminho. E terminamos o livro sem saber ao certo o que vira, ou achando que sabemos. E que agora, a agora não vai acontecer nada demais e eis que vem o terceiro. Temos uma verdadeira revolução contra o sistema, mas como em várias revoluções históricas as pessoas são usadas como arma e depois seus líderes se tornam tiranos.

Quem ainda não leu o segundo pode parar por aqui, para não ler spoiler, até a sinopse tem alguns spoilers, pule para a parte dos extras e do filme.

CONVERGENTE_1394113467P

Sinopse: E se seu mundo fosse uma farsa? E se uma única revelação – como uma única escolha – mudasse tudo? E se amor e lealdade fizesse você fazer coisas que nunca esperaria? A sociedade baseada em facções em que Tris Prior uma vez acreditou está estilhaçada; fraturada pela violência e luta pelo poder e marcada pela perda e traição. Então, quando aparece uma chance de explorar um mundo fora dos limites que ela conhece, Tris está pronta. Talvez além da cerca, ela e Tobias encontrarão uma nova e simples vida juntos, livre de mentiras complicadas, lealdades questionáveis, e memórias dolorosas.  Mas a nova realidade de Tris é muito mais alarmante do que a que ela deixou pra trás. Descobertas antigas são rapidamente esvaziadas de seu significado. Verdades explosivas mudam o coração daqueles que ela ama. E mais uma vez, Tris deve lutar para compreender as complexidades da natureza humana – e a dela mesma – enquanto encara escolhas impossíveis sobre coragem, lealdade, sacrifício e amor.”

Depois de tantas surpresas, no segundo livro, fiquei com medo de que o terceiro não estivesse a altura. Mas não muitas reviravoltas esperam Tris e Tobias depois da cerca. Quando li o primeiro livro, já vinha pensando nisso, o mundo não é só Chicago mas eles agem como se fosse então deve ter algo errado ai. Mas disso a ser um espécie de “farsa”, é um pouco demais né. Muitas mentiras vão sendo reveladas nesse livro, e Tris e Tobias não vão ter descanso algum. Teve um momento que até pensei, gente da para alguma coisa não ser mentira.

Esse livro é narrado pelos dois, o que torna a coisa muito mais interessante, Tobias ganha mais individualidade e a divisão permite a autora não só nos mostrar quem ele realmente é e o quanto gosta de Tris, mas trazer para os dois escolhas diferentes que se cruzam ao longo da narrativa, o que deixa a trama muito mais dinâmica. Fiquei meio chocada com o que acontece em vários momentos, gosto de como a autora colocou o perdão verdadeiro como algo difícil, o sacrifício como algo de valor. Outro ponto alto é que num futuro distante os governantes e cientistas possam resolver culpar genéticamente as mazelas humanas. Chegaremos a esse ponto? A esse desespero? Não sei.

“As pessoas falam sobre a dor causada pela perda, mas não sei o que querem dizer com isso. Para mim, a perda causa uma dormência devastadora, e todas as sensações parecem embotadas.”

divegente 4 Extras
A autora escreveu alguns capítulos narrados pelo Quatro, O Free Four: Tobias tells the story é o capítulo 13 de Divergente narrado pelo ponto de vista de Tobias Eaton em formato eBook, escrito pela autora, a Rocco disponibilizou gratuitamente para ler só clicar aquiPeguei essa informação no Site Divergente Brasil, que tem várias informações sobre a série e o filme, vale dar uma conferida depois. 

“Mas Peter tem razão, ela não é bonita. Essa palavra não basta. Ela não e como as outras Divergente-592x368garotas para as quais eu costumava olhar, com seus ângulos, suas curvas e sua maciez. Ela e pequena, mas e forte, e seus olhos brilhantes clamam por atenção. Olhar para ela e como acordar. Lanço a faca, mantendo meus olhos nos dela. A faca finca na tabua, perto da sua bochecha. Minhas mãos tremem, aliviadas. Seus olhos fecham‑se, e por isso eu sei que preciso lembra-lá mais uma vez do seu altruísmo”.

O Filme
Como disse o filme está marcado para estrear aqui no dia 17, os fãs já estão enlouquecidos é claro, eu fico torcendo para que seja bom. A atriz Shaileine Woodley (a Hazel de A Culpa é das estrelas), vai ser a Tris, Theo James faz o papel de Quatro, Kate Winslet é Jeanine Matthews. Mais informações do elenco. Achei que o ator que faria o Quatro seria alguém mais jovem e a Tris uma menina mais franzina.

 

Anúncios

Autor:

Estudante de Jornalismo na UFF, leitora voraz, que gosta muito de dividir com os amigos o que lê, o que gosta de ler e o que amou ler.

22 comentários em “{eu li} Divergente, Insurgente e Convergente – Veronica Roth

    1. Há semelhanças sim Paulo, as duas tramas se passam numa sociedade futurista nenhum pouco justa né. E temos personagens que sem querer travam um embate contra o sistema, e são fortes sem saber. Mas também tem diferenças a Katness luta uto contra seu lado revolucionário e é mais arrastada para isso. Acho que a Tris se resolve mais rápido quanto a sua participação nas rebeliões, mesmo tendo muitos conflitos internos. Outra diferença é a própria situação, a opressão em Divergente é uma grande questão de crenças, mentiras e manipulação. Já em Jogos Vorazes temos isso tudo também, mas o inimigo é mais definido no papel do presidente e da Capital. Gostei muito das duas histórias, fico tão horrorizada com o que vemos hoje, que fico imaginando como isso vai e eclodir socialmente no futuro.

  1. Eu infelizmente ainda não li essa série, mas quero muito! A cada resenha que leio e saber que está nos cinema e ainda não fiz a leitura me deixa até agoniada, porque não gosto de assistir ao filme primeiro. Mas não sei se vou me aguentar e ficar sem ir ao cinema!! Gostei muito do teu blog e já estou seguindo!!

    Beijinhos
    Mirelle

    1. Tenho certeza que você vai gostar, em poucos dias li a série toda. Ainda não tive tempo de ver o filme, quero ver logo. Que bom que você gostou do blog! Obrigada!

  2. Bom, tudo começou quando eu assisti ‘A Culpa é das Estrelas’ e me apaixonei pelo filme depois fiquei interessada em ler o livro e adorei , peguei um carinho pela Shailene Woodley e quando pesquisa alguma coisa era muito comentado sobre divergente onde ela faz o papel da Tris,fiquei curiosa e assisti ao filme. E então…Eu gostei muito,mais muito mesmo eu amei Divergente ! e peguei um carinho ainda melhor e pelo Quatro (Theo James) eu estou muito anciosa para comprar a trilogia de livros, e pela estreia de Insurgente 18/03/2015 ! Li muitos comentários em vários criticando a saga,dizendo que odiaram porque mudaram muitas coisas e teve coisas consideradas importantes que não estavam no filme, mas eu também li muitos comentários a elogiando que é recomendado e todas as perguntas que vem a cabeça são respondidas com o desenrolar da saga e com as continuações . Pode não ter feito muito sentido tudo o que eu disse mas, Enfim… Eu não vejo a hora de ler toda a saga e amei o filme espero que eu goste muito tanto quanto o filme e passe por todas essas emoções !!!!!

    1. Oi Renata, são 3 da história mesmo e do Quatro foi lançado um recentemente, que ainda não vi então não sei se ali estão todos os trechos dele ou se vão lançar mais algum. Mas esse do Quatro não é continuação, são trechos sobre ele e cenas que já existem só que com ele narrando.
      Que bom que gostou do blog! Volte sempre, tá? Qualquer coisa é só falar!
      beijos

      1. Bem, achei que a explicação de tudo não ficou tão coerente, mas quanto à morte eu não tive problema, apesar de ter ficado triste. Mostra que não existe sempre final feliz.

  3. Olá!!!!! Amei a trilogia!!!! Confesso que é a minha preferida!!! Confesso também que chorei muito nos seis últimos capítulos de Convergente… rsrsrs!!! Amei seu posto sobre a trilogia!!! Sucesso sempre!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s