Publicado em Eu li...

{Eu li} A Senhora das Águas – Philippa Gregory


senhoradosriosSinopse
Jacquetta é casada com o Duque de Bedford, regente inglês da França, que lhe dá a
conhecer um mundo misterioso de conhecimento e de alquimia. O único amigo de Jacquetta é o escudeiro do duque, Richard Woodville, que está a seu lado quando a morte do duque faz dela uma viúva jovem e rica. Os dois tornam-se amantes e casam em segredo, regressando à Inglaterra para servir na corte do jovem monarca Henrique VI, onde Jacquetta vem a ser uma amiga próxima e leal da sua nova rainha. Depressa os Woodville conquistam uma posição no núcleo da corte de Lancaster, apesar de Jacquetta pressentir a crescente ameaça vinda do povo da Inglaterra e o perigo de rivais pretendentes ao trono. Mas nem a coragem e a lealdade dos Woodville bastam para manter no trono a Casa de Lancaster. Jacquetta luta pelo seu rei, pela sua rainha e pela sua filha Elizabeth, para quem prevê um futuro extraordinário e surpreendente: uma mudança de destino, o trono da Inglaterra e a rosa branca de York.

Quem escapa da roda da fortuna? Quem está no poder e escapa da roda da fortuna? Philippa Gregory mostra em seus romances históricos os reis e rainhas ingleses de uma forma muito humana, seus sofrimentos, aflições e paixões são retratados de forma ficcional s mas incrivelmente críveis. Não tem como não se apaixonar pela história e seus personagens, e sem querer até torcer pelos reis mesmo sabendo da crueldade com os plebeus.

Nesse livro conhecemos um pouco do que aconteceu no começo da Guerra dos primos ou Guerra das duas rosas, Philippa traz com maestria como já retratei aqui a importância das mulheres no jogo dos tronos ingleses. Nesse livro conhecemos a famosa Margarida de Anjou, a esposa francesa do Rei Henrique, odiada por muitos por querer se impor numa corte predominantemente masculina. Conhecemos a rainha pelos olhos da Dama de Companhia, Lady Rivers, mãe da futura rainha Elizabeth. Nesse livro Jacquetta ainda faz de tudo para apoiar a causa Lancaster e conhecemos também sua história de amor. Como não amar um casamento por amor naquela época? Um casamento sem benefícios financeiros? Que traz até dívidas? Com uma história tão romântica, esse livro reforça o amor instaurado em mim pela família Woodville, que começou em A Rainha Branca e A Rainha Vermelha.

Foto da série The White Queen - Jacqueta (Janet McTeer) e Richard
Foto da série The White Queen – Jacquetta (Janet McTeer) e Richard

_ Somos o escudeiro e sua dama de Grafton _ declara meu marido. _Arruinados pela luxúria, endividados até a raiz dos cabelos, vivendo no campo. É aqui o nosso lugar, entre os animais no cio, sem dinheiro. Eles são nossos pares. É aqui que devemos ficar.

Jacquetta é um mulher extremamente forte, que fez de tudo para proteger sua família, usufruindo e correndo os riscos das vantagens e desvantagens de ser uma família próxima da corte. Sua família conseguiu mudar de lado numa época conturbada entre os lordes ingleses, em que nem o parentesco conseguiu evitar os confrontos.

Balanço a cabeça. Embora tenha cavalgado o dia todo contra a maré de homens feridos, não tinha pensado m nossa causa como perdida. Estive com Margarida por tanto tempo que só consigo pensar em termos de batalhas. Achei que tínhamos período mais uma, mas que ainda haveria outra depois dessa. Agora observo o rosto cansado de meu marido e os olhos fundos de meu filho.

download (1)Além disso, tem todo o lado lendário do uso de conhecimentos místicos, de visões e premonições, presente na história dela por ser considerada descendente de Melusina. Eu particularmente adoro essas partes, não importa que nada disso tenha sido comprovado, dão um toque muito especial ao romance.

_ Acredito que um desejo, uma oração e um sortilégio são a mesma coisa. Quando você reza, sabe que quer alguma coisa Esse é sempre o primeiro passo. Saber que quer alguma coisa, que anseia por isso. Às vezes é o mais difícil.

Uma das ideias centrais da lenda é o medo que os homens medievais tinham do lado desconhecido das mulheres e das mulheres instruídas. Jacquetta viu mulheres de sua época serem jogadas na fogueira no “caça as bruxas” por terem conhecimentos considerados hereges na época.

Foto da série The White Queen - Elizabeth (Rebecca Ferguson) e Jacquetta (Janet McTeer)
Foto da série The White Queen – Elizabeth (Rebecca Ferguson) e Jacquetta (Janet McTeer)

_ Vai me ensinar? _ pergunta ela.
Olho para ela e reflito. É uma filha da nossa casa e ,talvez, a garota mais bonita que tivemos. Tem a herança de Melusina e o dom da Visão. Um de meus filhos deve herdar as cartas que minha tia-avó me deu e o bracelete com talismãs. Acho que sempre soube que seria Elizabeth, a criança nascida do desejo das ervas, da minha vontade. E como minha tia-avó Jehanne dizia: tinha que ser a filha mais velha.
_ Sim _ respondo. _ Não são tempos propícios e estas são as habilidades proibidas. Mas eu vou lhe ensinar.

Fora isso tudo, a capa do livro é muito linda. O próximo volume lançado deverá ser sobre as filhas de Richard Neville, conde de Warwick. Uma delas, Anne, consegue chegar ao trono inglês de maneira tortuosa. E fica aqui o meu apelo a Record, que faça nova edição do Irmã de Ana Bolena e o A herança de Ana Bolena.

Gostaram? Não esqueçam de comentar!

Anúncios

Autor:

Estudante de Jornalismo na UFF, leitora voraz, que gosta muito de dividir com os amigos o que lê, o que gosta de ler e o que amou ler.

7 comentários em “{Eu li} A Senhora das Águas – Philippa Gregory

  1. Pingback: 24 anos |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s