Publicado em Eu li...

{Eu li} O Morro Dos Ventos Uivantes – Emily Brontë

o morro dos ventos uivantesSinopse: Na fazenda chamada Morro dos Ventos Uivantes nasce uma paixão devastadora entre Heathcliff e Catherine, amigos de infância e cruelmente separados pelo destino. Mas a união do casal é mais forte do que qualquer tormenta: um amor proibido que deixará rastros de ira e vingança. “Meu amor por Heathcliff é como uma rocha eterna. Eu sou Heathcliff”, diz a apaixonada Cathy. O único romance escrito por Emily Brontë e uma das histórias de amor mais surpreendentes de todos os tempos. (skoob)

Esse livro ganhei de presente da minha amiga linda, Camille Velloso, ela achou que eu ia gostar e acertou em cheio. Esse com certeza é um livro que desperta várias emoções conflitantes. O número de leitores no skoob é bem grande 59328, fora o de que estão lendo. Ao mesmo tempo que é uma história de amor,é também uma história de tormento e vingança. Os personagens chegam a loucura  em vários momentos, motivados pelo amor, orgulho e inveja.

Tudo começa quando o Sr. Lockwood aluga a Thrush Cross Grange, do Sr. Heathcliff. Ao conhecer sem ser convidado a casa do senhorio no “Morros dos Ventos Uivantes“, percebe uma situação muito estranha no ar, entre os seus habitantes. Heathcliff, sua cunhada e um jovem moram juntos e, aparentam, se hostilizar amargamente. Ao conversar com a governanta ele vai ficar sabendo como essa situação se formou. Assim, a história toda é contada em vários flashbacks, quando a governanta se senta para conversar com Lockwood.

Mas a história vai bem além de um drama familiar, até que ponto ser louco de amor por alguém deixa de ser uma expressão e pode fazer mal? O amor de Chaterine e Heathcliff, nasceu com poucas chances de ir em frente por questões sociais da época, e escolhas da própria Cathy. Mas nessa caso a degradação causada por isso não tem fim, a infelicidade deles se torna a infelicidade de todos que o cercam. A autora mostra de forma brilhante o caráter dos personagens, expõe a ferida de cada um deles, suas fraquezas e defeitos. E como o amor nem sempre é bonito de se ver.

Outro ponto da história, é como estragar e mimar demais seus filhos, isso pode fazer com que eles achem que o mundo é deles, que as pessoas são deles e estão lá para fazer a sua vontade. Também temos o oposto, ao pisar e maltratar as crianças, perdemos o total controle do que isso pode fazer com o seu caráter, e a situação pode voltar para a própria pessoa que praticou o abuso no começo da história. Várias lições. Há também um forte recado sobre a superproteção, guardar segredos dos familiares para protegê-los do passado pode os deixar despreparados para o que vão enfrentar ao se depararem com essas histórias.

A autora: 

emily_bronteEmily Jane Brontë nasceu em Thornton, no dia 30 de julho de 1818 e faleceu em Haworth, vítima de tuberculose, em 19 de dezembro de 1848 com apenas 30 anos. Deixou um único romance, O Morro dos Ventos Uivantes, considerado um dos grandes clássicos da literatura mundial. Era a irmã mais velha das irmãs Carlotte, Emily e Anne Brontë que, ao lado do irmão Branwell, cresceram no remoto vilarejo rural de Haworth, em Yorkshire. O ambiente, segundo Charlote escreveu mais tarde ao recordar a infância, tinha poucos atrativos para as crianças: “Dependíamos totalmente de nós mesmos e uns dos outros, dos livros e do estudo para encontrar diversões e ocupações na vida. O estímulo mais elevado, bem como o prazer mais vivo, que conhecemos da infância em diante residia em nossos primeiros esforços na composição literária.”

Em 1847, quando O Morro dos Ventos Uivantes foi publicado, ainda vigorava a convenção segundo a qual os romances deviam servir para a formação e edificação moral dos leitores. Assim, a obra de Emily Brontë (que publicou sob o pseudônimo de Ellis Bell) foi recebida com certa desconfiança, pois ainda que muitos percebessem a força que emanava dessas páginas, a história parecia desenrolar-se em um incômodo universo desprovido de princípios morais, em que a linha entre o bem e o mal é difusa e as motivações dos personagens parecem, a um só tempo, compreensíveis e atrozes. Fonte: LP&M

Filmes

Pesquisando descobri que existem várias adaptações do livro para o cinema, a mais antiga de 1939 e a mais recente de 2012. Ainda não assisti nenhuma, mas vou assistir e depois escrevo sobre. Já assistiram, qual a melhor adaptação para vocês?

2012 Wuthering Heights:

2009 Wuthering Heights:

1998 Wuthering Heights – Orla Brady & Robert Cavanah

A de 1939 tem como assistir online nesse site: Cinema Clássico

Anúncios

Autor:

Estudante de Jornalismo na UFF, leitora voraz, que gosta muito de dividir com os amigos o que lê, o que gosta de ler e o que amou ler.

4 comentários em “{Eu li} O Morro Dos Ventos Uivantes – Emily Brontë

  1. Esse livro é sensacional mesmo! Não tem como ser e sair incólume, sem se sentir mexido de forma alguma. Eu queria estrangular a Catherine e queria ao mesmo tempo colocar o pobre rapazote no colo e dizer que ia ficar tudo ok que quando ele fosse maior seria só uma fase bad da vida, porque imagine uma criança crescer no meio que ele cresceu sendo diminuído e sem expectativa alguma de ser minimamente esperto rs E detalhe, ainda virou um bom rapaz ao final, mesmo convivendo em meio a toda aquela loucura. Que bom que ao final ele tem uma boa recompensa rs Acho que é um dos livros que mais me perturbou na realidade, de uma forma completa. E que bom que acertei no presente!ahahahaha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Arsenal de Ideias

Blog voltado ao universo da literatura! Aproveitem.

Um Dia Me Livro

Resenhas literárias e mais

Aquela dos Trinta

Lifestyle; Sentimentos; Viagens; Livros e muito mais...

adanibella

Todo dia é dia de poesia.

Clube do Leitor

A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original. (Albert Einstein)

%d blogueiros gostam disto: