Publicado em Eu li

{euLi} Misery – Stephen King

miserySinopse: Paul Sheldon é um famoso escritor reconhecido pela série de best-sellers protagonizados por Misery Chastain. No dia em que termina de escrever um novo manuscrito, decide sair para comemorar, apesar da forte nevasca. Após derrapar e sofrer um grave acidente de carro, Paul é resgatado pela enfermeira aposentada Annie Wilkes, que surge em seu caminho. A simpática senhora é também uma leitora voraz que se autointitula a fã número um do autor. No entanto, o desfecho do último livro com a personagem Misery desperta na enfermeira seu lado mais sádico e psicótico. Profundamente abalada, Annie o isola em um quarto e inicia uma série de torturas e ameaças, que só chegará ao fim quando ele reescrever a narrativa com o final que ela considera apropriado. Ferido e debilitado, Paul Sheldon terá que usar toda a criatividade para salvar a própria vida e, talvez, escapar deste pesadelo.

Meu Deus, que livro incrível! A única coisa que descordo aí da sinopse é que desde o começo Paul percebe que há algo estranho com Annie. Ele já estudou um pouco o comportamento dos psicóticos para perceber isso.

Ele descobrira três coisas quase simultaneamente, uns dez dias após ter emergido da nuvem escura. A primeira era que Annie Wilkes tinha bastante Novril (na verdade, tinha muitos remédios de vários tipos). A segunda era que ela era viciada em Novril. A terceira era que Annie Wilkes era perigosamente louca.

Vídeo no final da página, ou clicando aqui.

Esse livro trata de vários assuntos, loucura e obsessão como diz o subtítulo são os principais. Mas também fala da relação torturador e torturado, escritor e leitor, e també do processo da escrita. Impressionante, tudo o que é desenvolvido no livro é feito praticamente em cima de somente dois personagens. É um livro de cenas bem fortes e que deixa o leitor angustiado e ansioso para saber o que Annie é capaz de fazer, a cada rompante algo terrível pode acontecer.

Ela o arrastou dos destroços do carro e, em vez de chamar a polícia ou a ambulância, o instalou em seu quarto de hóspedes, o alimentou por agulhas espetadas no braço e entupiu seu corpo de drogas. Tanto que ele chegou a ter parada respiratória pelo menos uma vez. Ela não contara a ninguém que Paul estava ali, e se não fizera até o momento, é porque não tencionava fazê-lo.

Annie vai mostrando o quão problemática e cruel pode ser conforme a história se desenvolve, e sempre culpando Paul pelas suas atitudes. Depois que ela descobre que ele “matou” Misery a relação entre eles cresce e fica mais verdadeira. Começa à acontecer uma troca: Paul quer ficar vivo e Annie quer o novo livro em que a personagem tem que dar um jeito de ressuscitar. Essa escrita se revela um grande desafio de criatividade, mas aos poucos o autor percebe que nunca havia escrito nada igual antes. Ele assume seu papel de Sherazade de Annie e de si mesmo.

Outra coisa impressionante da narrativa, é como mesmo o livro sendo em terceira pessoa (com alguns trechos em primeira) nos sentimos na cabeça de Paul. A forma como seus pensamentos são descritos explicitam muito bem o que ele está passando e pensando. E é aterrador e curioso ao mesmo tempo, em alguns momentos ele fica dominado pelo medo e em outros já está pensando em como sair dessa situação. E o leitor também fica conhecendo como funcionam suas ideias na hora de escrever.

Desde o começo mostra um escritor satisfeito por ter matado a personagem que lhe rendeu tanto dinheiro, ele mesmo o considera uma história melodramática e dá vivas por se livrar dela. E fica aquele embate entre ser um escritor que vende ou que escreve algo realmente bom.

Isso é o meu ganha-pão. É assim que eu consigo manter as casas em Nova York e Los Angeles, e ter mais carros do que muito ferro velho por aí. Porque eu posso, e não preciso pedir desculpas por isso, porra. Tem um monte de sujeitos por aí que escreve prosa melhor do que eu, e que entendem melhor as pessoas e o significado da humanidade…porra, eu sei disso. Mas quando o monitor pergunta “Valeu?” sobre o trabalho deles, apenas algumas pessoas erguem as mãos, às vezes. Mas elas sempre erguem as mãos para mim…ou para Misery… e no fim dá tudo no mesmo.

O livro também é cheio de referências à outros livros e a filmes e comerciais. Uma narrativa atraente e impossível de desgrudar os olhos. Ficamos presos no que Paul chama de deixeeuver, a necessidade de saber o que acontece depois. Essa vontade ainda é agravada porque em alguns momentos a história adianta algumas coisas muito tensas que vão acontecer só para piorar a ansiedade.

Esse livro me deixou mais encantada com a capacidade do autor Stephen King de contar excelentes histórias, seja qual for o tema. Aqui no blog há resenhas de outros dois livros incríveis: Sob a redoma e Novembro de 63.

Filme

E tem film um filme de 1990, com James Caan e Kathy Bates. Ainda não assisti, mas é uma adaptação muito elogiada.Em breve acrescento minha opinião 🙂 No trailer rolam alguns spoilers de coisas que acontecem.

Resenha em vídeo

Anúncios

Autor:

Estudante de Jornalismo na UFF, leitora voraz, que gosta muito de dividir com os amigos o que lê, o que gosta de ler e o que amou ler.

12 comentários em “{euLi} Misery – Stephen King

  1. Oooi! Eu já tinha assistido esse trailer anteriormente, e antes eu já achava bizarro, depois de saber mais sobre o enredo ficou mais bizarro ainda Kkkkkkk Eu não sei se leria… É um gênero que não sou muito de ler, mas já comentei que gostaria de conhecer algumas estórias do SK, mas essa vai ficar fora da lista :p
    Ótima resenha 🙂
    Bjs

    1. Olha tbm não sou mto do terro, mas dá para ler Ruhh e é viciante esse livro! Ele tem outros de outros temas tbm por onde vc pode começar, como NOvembro de 63 e Sob a redoma. bjos

  2. Ah meu Deus!
    Estou numa fase de “louca obsessão” por Stephen King, desde o dia em que cheguei num grupo no Facebook e pedi opiniões sobre os livros dele, e então resolvi ver vídeos de resenhas de livros, depois assisti ao filme “O Nevoeiro”. Estou com dois livros dele novinhos, que ainda não li (“A espera de um milagre”, e “O iluminado”), e já ficou doida só de ver um título novo em algum blog, vídeo, ou mesmo nos sites de livrarias. Mal posso esperar para começar a ler conhecer todas essas histórias!
    Quanto a Misery, eu já tinha visto um vídeo de resenha, e várias vezes pensei em assistir a filme, só não vi ainda porque tenho aquele medinho de criar expectativas, de não ser fiel, etc. Adorei a sua resenha, e só fiquei mais empolgada ainda para ler!

    http://loucura-por-leituras.blogspot.com/

    1. Eu tbm pretendo ler esses haha Tenho uma amiga que está comprando tdo dele tbm! Mas é viciante mesmo. Eu já estou de olho no Mr. Mercedes 🙂 Que bom que vc gostou, depois volta e me conta o que achou!:*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s