Publicado em Eu li

{euLi} Cicatrizes na parede – Esdras Pereira

CICATRIZES_DA_PAREDE_1467322458594247SK1467322458BSinopse: A rica narrativa de Cicatrizes na Parede se inicia com Enitan, um orgulhoso guerreiro yorubá, sequestrado com a sua família em 1830 nas savanas africanas, vendido como mercadoria no porto de Biafra e embarcado em um navio negreiro para cumprir a sua sina de escravo reprodutor em uma enorme senzala no Brasil, semeando de negros, pardos, mulatos e cafusos os vastos canaviais dos Campos dos Goytacazes, fertilizados com o sofrimento e o suor dos negros escravizados.
Uma saga que se desenrola em condições brutais, baseada em pesquisas históricas, fatos reais ficcionados e fatos fictícios que traduzem a dura realidade do preconceito de cor e social até os tempos atuais, mostrando a trajetória dos negros em um caleidoscópio de personagens fortes e passagens marcantes, que levam o leitor a passear como privilegiado voyeur pelos bastidores dos solares, das senzalas, dos prostíbulos, do cárcere, do homossexualismo, da prostituição, da violência, das drogas e da aids, até os elegantes salões da sociedade campista, espelho de um Brasil colonizado com o trabalho e o sacrifício alheio.

Você também pode assistir a resenha em vídeo no final da página ou clicando aqui.

Oi pessoal, esse livro é ótimo, duro e violento, mas bom. Tem que estar preparado para ler. Eu não esperava tanto quando comecei. Recebi esse livro do autor Esdras Pereira e de cara fiquei boba com a beleza da capa e das ilustrações de João de Oliveira. Eu achei a princípio que a história fosse focar mais na escravidão, mas é um livro em que o tempo voa e somos arrastados por vários períodos históricos com o foco nas pessoas marginalizadas. As passagens são bem fieis a cada época. A única coisa que não gostei muito é que há um padrão de destino para os personagens e pra alguns eu fiquei torcendo para que houvesse alguma esperança, mas isso não acontece. A trama é muito rica em personagens e apresenta histórias que poderiam ser verídicas.

No começo o livro conta a história de Enitan e sua família (esposa, um filho e duas filhas). Ao voltar para casa depois de caçar ele se depara com a cena terrível: sua família escravizada por outra tribo e pronta para ser levada. Ele se rende com medo de causar a morte de todos eles. O destino foi cruel com os escravos e com esses não é diferente.

Depois conhecemos uma família já bem diferente, composta por duas senhoras que vivem em um casarão da época da escravidão, só que já decadente, que criam uma jovem mulata que ajuda em tudo e também vivem com uma empregada negra como se fosse da família. Então a trama gira mais em torno de Sueli, a jovem que desperta o desejo em todos os homens que a veem. Sem muitas perspectivas, ela vai aprender a tirar proveito de sua beleza para conseguir uma ascensão. Mas há muitas pessoas ruins no seu caminho também.

Por último com outro salto, já nos anos 80, ficamos conhecendo Nenel, filho de Sueli, um garoto inteligente, que herdou a beleza da mãe e a “potência” do pai, e se descobre homossexual. Ele vive a vida encarando vários preconceitos por sua cor e por ser gay. Mas isso não o impede de seguir tentando e trabalhando. Mas a proximidade com outros personagens perigosos acabam trazendo muitos percalços para a vida dele. É difícil para ele viver alheio aos problemas que acontecem a sua volta.

A narrativa é bem fluida, mas a história pesada. O autor usa muitas palavras rudes e alguns leitores podem não gostar tanto por isso. Há também muitas cenas de sexo. E em algumas eu achei que o estupro foi um pouco banalizado, pelo personagem acabar atraído pelo atacante. Fiquei um pouco incomodada. Mas os sentimentos dos personagens são muito claros, e nota-se que não é a intenção do autor. Indico o livro, com certeza, principalmente, para quem gosta de romances históricos com os dois pés na realidade.

Onde encontrar:
Ebook na amazon.
Loja da Editora.

O que achou? Comente! Volte sempre 🙂

Anúncios

Autor:

Estudante de Jornalismo na UFF, leitora voraz, que gosta muito de dividir com os amigos o que lê, o que gosta de ler e o que amou ler.

6 comentários em “{euLi} Cicatrizes na parede – Esdras Pereira

  1. Eu adoro romance histórico, é um dos meus gêneros preferidos. E esse parece conter uma crítica social muito forte, o que também me agrada. Creio que não tem como abordar os temas que são tratados no livro sem que a obra se torne um pouco pesada, afinal, a temática é pesada. Adorei o texto e o vídeo!

    Tatiana

  2. Oi Thamiris, tudo bem?

    Nossa, fiquei chocada com a premissa dessa história, que é bem diferente dos romances históricos que estou me acostumando a ler. Contudo, fiquei tentada a ler, principalmente por causa dos seus comentários, acho que será uma leitura muito válida para mim.
    Imagino que deva ter sido desafiador para autor escrever um enredo tão ousado.

    Bem, obrigada pela dica. Um grande abraço!
    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s