Publicado em Eu li

{euLi} Grandes Esperanças – Charles Disckens

GRANDES_ESPERANCAS_14304327893947SK1430432789BSinopse: “Grandes Esperanças” narra a história de Philip Pirrip, ou simplesmente Pip, órfão criado pela irmã num ambiente de pobreza, desde os seis anos, quando cometeu seu primeiro crime: ajudar Abel Magwitch, um fugitivo da prisão, a escapar da polícia nas charnecas. Pip vive na casa de sua irmã mais velha, casada com um ferreiro do vilarejo. São pobres, mas não miseráveis, porém, o que aflige Pip, e seu cunhado e único amigo Joe Gargery, é a truculência com que são tratados por Mrs. Joe, que inferniza a vida de todos que a cercam. Por intermédio de seu tio, Pip consegue emprego na mansão na Miss Havisham como garoto de companhia; lá, conhece Estella, filha adotiva de Havisham, o advogado Mr. Jaggers, Herbert Pocket e outros parentes da velha senhorita. Ela o dispensa quando este ingressa na puberdade. Logo após Pip deixar os serviços de Miss Havisham, Mr. Jaggers o informa que um misterioso benfeitor anônimo financiará sua educação em Londres para torná-lo um cavalheiro e que este benfeitor deixará sua fortuna para Pip, que passa a contar então com grandes esperanças ou expectativas. Após abandonar a família para viver em Londres, Pip passa a desprezar sua vida anterior, tentando tornar-se digno de se casar com Estella, que, no entanto, não se interessa por seus sentimentos.

Oi pessoal, estou numa busca por leituras diferentes e autores clássicos que nunca li. E um desses que nunca me aventurei era o deles era o Charles Dickens. Assim, peguei “Grandes Esperanças” emprestado e o resultado da leitura foi muito bom. Gostei bastante, tirando um momento ou outro em que o ritmo diminui um pouco e temos o personagem principal analisando em seus sofrimentos. Mas as reviravoltas e o resultado desses sentimentos fazem o livro valer muito a pena.

Como diz a sinopse, Pip foi criado pela irmã e o cunhado. Sua irmã o criou “a mão” como dizem as pessoas que o menino conhece, e dá o mesmo tratamento ao seu marido Joe. Todos elogiam a “educação” dada por ela e o esforço dedicado de criar um irmão pequeno, mas ela na verdade é uma mulher muito bruta e rude. E que pode ter acessos grandes de fúria. Joe sempre tenta aliviar um pouco a vida de Pip e no começo os dois despertam muita pena.

É o próprio Pip que nos conta a história e o começo é bem divertido/trágico com ele contando essa dura infância. Acompanhamos um olhar bem infantil e muitas dúvidas. Ele vive também uma aventura e se vê forçado a roubar comida para um criminoso escondido perto de sua casa. Ele morre de medo de sofrer uma grande represália por isso.  Um dia um tio de Joe, um cara de posição melhor e extremamente interesseiro, o chama para brincar na casa de Miss Havisham. Uma senhora que ele nunca viu, então não sabe o que esperar. E nem o leitor, quando nos deparamos com uma senhora vestida com um vestido de noiva antigo que vive enclausurada, numa casa bem escura em que os relógios estão todos parados. Nada é explicado a Pip, então acompanhamos todas as suas percepções e deduzimos que algo trágico deve ter acontecido a ela antes de se casar (seu passado só é revelado depois).

Lá ele também conhece Estella, a filha adotiva de Miss Havisham. E é ela que muda toda a visão de Pip sobre as coisas, ao ser desprezado pela menina ele começa a se sentir inferior e assim também a achar inferior sua casa e suas pretensões. E sentir também muita infelicidade já que nunca terá a menina ao seu alcance. Miss Havisham parece gostar que a menina seja tao esnobe e bela e até se divertir com as reações do menino que volta lá algumas vezes. Até que é dispensado na idade de virar aprendiz de Joe. Ele chega a virar aprendiz mas aparece um advogado a mando de um benfeitor misterioso e ele vê sua chance de se tornar cavalheiro. Ele não pode de forma alguma perguntar quem é ou tentar descobrir quem está bancando sua vida, é a regra. E ele fica achando que é Miss Havisham a benfeitora e começa a te esperanças com Estella.

Esse livro traz uma grande crítica social a sociedade inglesa vitoriana, todos os personagens, ou quase todos, acreditam que a posição social faz com que as pessoas sejam melhores do que as outras. Senti muita raiva ao ver Pip desprezar seu melhor amigo Joe depois de conseguir melhorar seu status. Ele não desgosta de Joe mas também não quer ficar por perto. E o próprio e incrível Joe acredita nisso, tão bom nem guarda rancor de Pip e o trata por Senhor. Ele é muito humilde, mas uma humildade cega também. Outros personagens também vão evidenciar isso.

É claro que com a mudança de vida Pip acha que tem esperanças com Estella, mas ela se tornou uma conquistadora e tem muitos admiradores, mas parece que só quer atormentar esses jovens. Inclusive o próprio Pip. Fica evidente que tem a ver com a criação dada por Miss Havisham, com algum objetivo ruim nisso. Os confrontos entre esses personagens quando certas verdade vem a tona são as partes que mais gostei do livro. Então não posso dar detalhes. Mas Pip aprende a ser um cavalheiro, esbanja dinheiro, faz um novo amigo que o ajudará nessa vida nova e não para de pensar em Estella. Até que há uma grande reviravolta na história que muda tudo completamente e movimenta a trama. E isso vale o livro inteiro.

Não há personagens em vão nesse livro e o autor consegue encaixar tudo brilhantemente na trama. Muitos estão a procura de fortuna e conforto, há muitos interesseiros e alguns golpistas no livro. Sherlock poderia tranquilamente investigar alguns desses. A maioria das pessoas com status não quer se misturar ou ter relação além da socialmente determinada com quem é de uma classe mais baixa. É o considerado “normal”, embora vá pesar na consciência de Pip. Ainda mais quando ele conhece exemplos de pessoas boas de fato. É engraçado que acompanhamos a mente de Pip e muitas vezes ele se arrepende mas não o suficiente para mudar de atitude e comete vários erros. É um personagem que cresce e passa por muitos problemas e dilemas morais até o final do livro e isso o torna muito real. A questão se Pip vai ou não alcançar seu interesse amoroso acaba ficando em segundo plano no interesse do leitor.

 

Anúncios

Autor:

Estudante de Jornalismo na UFF, leitora voraz, que gosta muito de dividir com os amigos o que lê, o que gosta de ler e o que amou ler.

3 comentários em “{euLi} Grandes Esperanças – Charles Disckens

  1. Esse livro é maravilhoso, e a edição ainda é bilíngue, que luxo! O exemplar que li era emprestado da biblioteca da faculdade, há anos. Lendo a sua resenha, fiquei com vontade de adquirir o meu próprio exemplar e fazer uma releitura. Eu gostei muito, também, de um outro livro que li do autor, chamado Um conto de duas cidades.

    Tatiana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s