Publicado em Eu li

{euLi} Inverno do Mundo – Ken Follet

inverno_do_mundo_1344179532bSinopse: ‘Inverno do mundo’ retoma a história do ponto exato em que termina o primeiro livro. As cinco famílias – americana, alemã, russa, inglesa e galesa – que tiveram seus destinos entrelaçados no alvorecer do século XX embarcam agora no turbilhão social, político e econômico que começa com a ascensão do Terceiro Reich. A nova geração terá de enfrentar o drama da Guerra Civil Espanhola e da Segunda Guerra Mundial, culminando com a explosão das bombas atômicas. A vida de Carla von Ulrich, filha de pai alemão e mãe inglesa, sofre uma reviravolta com a subida dos nazistas ao poder, o que a leva a cometer um ato de extrema coragem. Woody e Chuck Dewar, dois irmãos americanos cada qual com seu segredo, seguem caminhos distintos que levam a eventos decisivos – um em Washington, o outro nas selvas sangrentas do Pacífico. Em meio ao horror da Guerra Civil Espanhola, o universitário inglês Lloyd Williams descobre que tanto o comunismo quanto o fascismo têm de ser combatidos com o mesmo fervor. A jovem e ambiciosa americana Daisy Peshkov só se preocupa com status e popularidade até a guerra transformar sua vida mais de uma vez. Enquanto isso, na URSS, seu primo Volodya consegue um cargo na inteligência do Exército Vermelho que irá afetar não apenas o conflito em curso, como também o que está por vir.

Vídeo no final do post ou clicando aqui.

Gente, enrolei muito para ler esse livro por conta do tamanho, mesmo sabendo que o primeiro tinha sido incrível e que eu iria provavelmente gostar desse também. Ele pertence a trilogia O Século: Queda de Gigantes, Inverno do Mundo e Eternidade por um fio. Coloquei ele e sua continuação na meta de livros para o ano e quando percebi “Meus Deus o ano está acabando e ainda não li!”. Assim, peguei em novembro para ler, e logo fiquei totalmente rendida à história. Que livro incrível! Eu fiquei com um pouco de receio de não curtir tanto os personagens novos, os filhos das famílias, como eu tinha gostado dos do primeiro livro já que eles que seriam o foco principal agora. E me surpreendi, porque os novos personagens continuam incríveis, densos e complicados como os do primeiro livro. E ainda temos a presença marcante dos personagens de Queda de Gigantes que agora são pais preocupados. Se você não leu a resenha do primeiro livro pode conferir o post clicando aqui.

De cara o livro começa com um dos casais mais bacanas do mundo, Maud e Walter que lutaram muito para ficarem juntos no primeiro livro. E que nos encantaram por serem tão idealistas, pacifistas e apaixonados. Maud deixa de vez a Inglaterra para morar com Walter na Alemanha, e lá a economia está com sérios problemas por conta da primeira guerra e o Nazismo quer ganhar forma. É claro que o casal vai lutar muito contra o Nazismo, ela no jornalismo e ele na política no partido social-democrata. Mas a coisa não vai bem e todo mundo que é contra o Nazismo sofre de diversas formas e o livro mostra que nem todo alemão queria o nazismo e como as pessoas foram obrigadas a aceitar ou foram convencidas. Ken escolheu não retratar um personagem no campo de concentração, e focar mais no que acontecia com a população “livre”, mas também temos personagens judeus ligados a família e outras minorias que vão evidenciar o horror que foi.

Na Inglaterra, vamos acompanhar principalmente a família de Ethel com Bernie, seu filho Loyd vai se envolver profundamente com o ativismo e a política, como não poderia deixar de ser. Nessa parte da história Ethel já é senadora, sensacional pra quem acompanha a história dela no primeiro livro, e seu filho quer um pais mais justo como a mãe. Eles primeiro vão a Alemanha visitar Maud, e vão ter que correr do Nazismo lá. Mas isso vai dar forças para que eles vejam a necessidade de enfrentar o facismo na própria Inglaterra. Ele também vai parar na Espanha e enfrentar o facismo lá com o apoio do comunismo russo. Só para vermos os males do governo Russo, mas que foi tolerado como arma contra os nazistas e isso vai ter proporções catastróficas .

De outro lado, nós vamos acompanhar Volodoya, que é filho de Grigori, o cara que foi muito importante na Revolução Russa e pelo qual acompanhamos esse enredo tão interessante no primeiro livro. E vemos algo que era pra ser positivo dar errado pelo regime ditatorial que é imposto na Rússia. É muito bacana ler a dúvida dos personagens que querem acreditar que o melhor vai acontecer, não são má pessoas e amam seu pais. Mas também ficam chocados com as barbaridades e torturas praticadas pelo NKVD e depois pela Gestapo. E acabam sendo envolvidos nisso e passando altos perrengues. A sacada do Ken Follet foi colocar personagens que refletem o que estão fazendo em um cenário em que as pessoas são obrigadas a  cumprir qualquer ordem. É claro que o Volodoya, sendo da inteligência secreta, espião, mas não da NKVD, coloca ele num grupo mais brando aparentemente, mais racional, mas que também pode se revelar implacável.

Gostei muito como ambas as ditaduras foram trabalhadas, e qualquer pessoa que pensa que ditadura pode ser usada para um bem maior deveria ler esse livro. Ninguém pode ser oprimido e preso por falar o que pensa do governo e de seus governantes, que nesses regimes são tratados como deuses, e a polícia jamais pode ter tamanho poder. Em ambas as esferas, os personagens cometem abusos de poder, por estarem do lado do regime podem fazer qualquer coisa com quem se opõe ou acusar injustamente qualquer civil.

A família americana também aparece, ainda temos o senador Dewar com seu sonho de criar a Liga das Nações e evitar a guerra no mundo. E sua família vai se envolver na guerra de forma bem trágica, se preparem! Seus filhos são cativantes e também trazem temas importantes que não quero revelar na resenha. Também acompanhamos a família torta de Liev, é claro que seu casamento não podia dar certo, mas as aparências os mantém “juntos” e são pais de Daisy. Ela começa como uma jovem super fútil, procurando um marido rico, mas sua vida vai se transformando e ela vai ser o alvo de Loyd quando vai parar na Inglaterra. Mas muito cega ainda acaba se casando com Boy Fitzherbert (sim essa família nobre inglesa que você está pensando e se leu o primeiro livro sabe a treta que isso vai dar).

Aos poucos acompanhamos também a criação da bomba atômica quando os Estados Unidos entra de vez na guerra e como isso choca o mundo. O avanço dos cientistas e ao mesmo tempo seus temores. Senti falta de um personagem no Japão, o autor não mostra ninguém lá, só ouvimos o eco da bomba, mas não presenciamos. Acredito que ele escolheu manter o livro focado nas mesmas famílias do primeiro e ficou difícil de encaixar isso.

E mais uma vez vemos como a guerra não vale a pena, tantas vidas desperdiçadas são retratadas nesse livro em todos os pontos do planeta. O autor levantou também a crueldade com que foi tratada os alemães com a dominação Russa e também dos outros países que fizeram pouco para evitar isso. Esse livro é um prato cheio para quem gosta de história e excelente porque mostra diversos pontos de vista.  Estou lendo o terceiro, Eternidade por um fio, espero falar dele com vocês na semana que vem.

Anúncios

Autor:

Estudante de Jornalismo na UFF, leitora voraz, que gosta muito de dividir com os amigos o que lê, o que gosta de ler e o que amou ler.

8 comentários em “{euLi} Inverno do Mundo – Ken Follet

  1. Oii Thamiris, tudo bem?
    Menina eu tenho tanta vontade de ler esse livro que você nem imagina, eu iria comprar ele esse ano mesmo, juro para ti, mas tive que comprar uns para aula, muito caro na verdade acabei recebendo em dobro tanto livro de parceria, então vou deixar para o ano que vem ou quando não ter mais leituras.
    Beijinhos da Morgs!

  2. Thamizinhaa (:
    Sabe via muita gente falando e indicando essa trilogia, mas nunca procurei saber do que se tratava, muito menos ler uma resenha. Ao que entendi temos famílias, no meio de acontecimentos marcantes. Adorei sua resenha, como sempre me indicando livros um tanto diferentes para mim. Obrigada por nos mostrar novos horizontes, haha
    Beijos

  3. OOI!
    Vejo muitos comentários positivos sobre a série, mas confesso que ainda não me interessei. Gosto bastante sobre livros desse tipo, mas no momento estou procurando por leituras mais divertidas e leves. 🙂

    Ótima resenha!
    Beijoos!

  4. Olá tudo bem?
    Já vi alguns comentários sobre esse livro e sobre toda a série, mas a sinopse e a capa não me chamaram atenção. Não é o tipo de leitura que estou habituada a ler e ainda não me aventurei para esse tema por enquanto, mas quem sabe eu não mude de ideia um dia? Pois gostei muito de ler suas impressões.
    beijinhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s