Publicado em Eu li

{euLi} Harry Potter e a criança amaldiçoada

harry_potter_e_a_criana_amaldioada_brochura_1140530609bSinopse: Sempre foi difícil ser Harry Potter e não é mais fácil agora que ele é um sobrecarregado funcionário do Ministério da Magia, marido e pai de três crianças em idade escolar. Enquanto Harry lida com um passado que se recusa a ficar para trás, seu filho mais novo, Alvo, deve lutar com o peso de um legado de família que ele nunca quis. À medida que passado e presente se fundem de forma ameaçadora, ambos, pai e filho, aprendem uma incômoda verdade: às vezes as trevas vêm de lugares inesperados.

Confira a resenha em vídeo no final da página ou clique aqui.

Oi pessoal, muito receio me envolveu antes de ler esse livro depois de ter visto vários comentários negativos sobre ele. Fiquei com as expectativas lá em baixo, mas ao mesmo tempo aquela curiosidade de saber tudo sobre esse universo tão amado e pegar um livro com uma história novinha. Parte dos comentários contra é um pouco equivocada porque não se pode por a mesma expectativa de um livro escrito pela J.K. (com calma e só por ela) em uma peça em que ela divide a autoria com outros dois roteiristas. Aqui só temos diálogos, as cenas pulam de uma pra outra, precisa de mais imaginação para viajar. Mas como tem o aval da autora o que acontece na história também é responsabilidade dela e nos atualiza sobre vários personagens e acontecimentos para o bem e para o mal. E os eventos no livro me agradaram mais ou menos, algumas partes sim e outras não. Na resenha vai ter um pouco de spoiler, então leia por sua conta e risco.

O começo do livro nos traz de volta à aquele epílogo “19 anos depois” que lemos no final de Harry Potter e as Relíquias da Morte, mas com modificações. Alguns personagens falam coias no lugar de outros, entram mais falas também, e o pobre do Teddy Lupin nem é mencionado :/. Nos posts da J.K. no site Pottermore já havia sido explicado que Rony trabalha nas Geminialidades Wesley, então foram incluídas falas dele referentes a isso. Eu confesso que achei o personagem meio bobo, achei que faltou um pouco de maturidade que vemos em Harry e Mione.

Passado isso vemos uma amizade nascer entre Escórpio e Alvo, até que isso fluiu bem, o mais novo Malfoy sofre preconceito e rola uma cena bem parecida daquela quando Rony e Hary se conhecem e Draco fala para Harry aprender a ter melhores amigos tentando humilhar os Weasley.  Para minha surpresa, desagradável, Rosa (filha de Hermione e Rony), do mesmo ano dos meninos, não quer falar com Escórpio e se mostra bem metida. Logo ela!? Seu comportamento acaba separando ela e Alvo. Já na seleção das casas Escórpio e Alvo vão parar na Sonserina, um Potter na Sonserina, claro que isso desperta vários comentários. E a falta de jeito no que o pai era bom também, e todo esse burburinho faz com que o menino não goste muito de Hogwarts. Internatos podem ser cruéis se você não se encaixa.

Esses adolescentes soam mais como tal do que o nosso trio soaria nos dias de hoje, o linguajar e as preocupações são tipicamente da idade e estão atualizados. Vale ressaltar que esses personagens, menos Escórpio, não passaram por grandes traumas, não tem nenhum passado perigoso e ainda precisam aprender bastante a valorizar a família e principalmente entender o quanto seus pais lutaram. Alvo e Harry travam uma relação delicada, o menino não gosta do peso do seu sobrenome, isso é um pouco irritante, mas compreensível porque apesar dele saber a história ele não viveu os sacrifícios do pai. Ele enxerga Harry de uma forma diferente e mais crítica. Já Harry também não consegue entender muito bem o filho e por sua vez vai cometer seus erros também. Com o tempo eu fui curtindo essa relação e torcendo. Escórpio também tem seus problemas, uma fama terrível de que ele seria filho de Voldemort e uma relação complicada com o pai Draco também. Draco continua sendo um personagem dividido, mas mostra outras faces ao longo da peça.

Os anos passam rápido na peça, ainda no Ato 1 os meninos já estão no quarto ano e aí que a grande confusão começa. A trama central na peça é que Alvo decide usar um vira tempo para viajar no tempo e evitar a morte de Cedrico Digory. Acho que todo mundo ficou um pouco decepcionado, porque ninguém nunca ligou muito para o  Cedrico, pouca importância no coração dos fãs para que ele fosse o objeto de tal plano. Mas para a história funcionar sem problemas precisava ser ele ou então seria uma história completamente diferente, eu não consegui pensar em ninguém para ocupar o lugar porque os que perderam seus familiares e amigos e são mais importantes na trama estão bem resolvidos. E os personagens que viveram o passado sabem que não é seguro mexer com o tempo. Então sobrou para os adolescentes fazerem as burradas, depois de ouvir o pai de Cedrico exigir a Harry que usasse um vira tempo para salvar seu filho e ver o pai recusar e mentir Alvo fica com aquilo na cabeça e vai fazer a besteira junto com Escórpio.

Li algumas críticas ao uso do vira tempo já que eles haviam sido destruídos antes. Mas isso de sobrar um exemplar que não foi destruído é velho, só lembrar das rocas queimadas para tentar salvar Aurora (A Bela Adormecida). Outra crítica é que não vemos o mesmo recurso usado em Harry Potter e o Prisioneiro de Askabam, quando Hermione e Harry viajam algumas horas no tempo e vemos como o passado, o presente e o futuro estão ligados e eles percebem que algumas coisas acontecem como se eles já tivessem viajado antes. Isso seria muito complexo para o roteiro da peça e impossível de acrescentar nos livros anteriores, mas não acho que seja furo se pensarmos em pontos de vista, e se eles estivessem lá antes mas ninguém viu? (Complicada essa parte, preciso de um especialista em vigem no tempo!) O que gostei muito foi como o que os meninos vão modificando afeta a história e os outros futuros possíveis que ficamos conhecendo. Muito bacana!

Acho que o que mais me desagradou foi a parte relacionada a criança amaldiçoada.
Se não quer ler spoiler disso pula esse parágrafo! ………………………………………………………………………………………………. Voldemort teve uma filha, com Belatrix, que estava escondida até então, ninguém sabia só alguns comensais e isso é difícil de engolir. É claro que não acompanhamos o grande vilão o tempo todo nos livros anteriores e pode ter acontecido várias coisas que não vimos, mas a autora teria plantado isso melhor na história se tivesse sido planejado. J.K nunca dá ponto sem nó nas histórias, tudo sempre foi bem encaixado ou explicado depois. Mas isso ficou meio, precisamos de um vilão novo, há então inventa que ele teve uma filha lá e pronto. Em nenhum momento dos livros anteriores temos a impressão de que Voldemort queria ter um filho, reli tem pouco tempo, e muito menos que ele sentia algum prazer com relações sexuais. Além de ser muito estranho pensar nisso, sempre o vi como um personagem assexuado, mesmo lembrando que ele deu uma seduzida na fantasma lá a Cornival, mas ela era fantasma. Enfim, foi muito esquisito ler isso, imaginar isso, não desceu, e a maioria da comunidade potterhead não curtiu.

Apesar de alguns momentos bem estranhos e alguns personagens não soarem exatamente como eu queria, a nostalgia é bacana ao revermos alguns personagens, é legal ver no papel nome de personagens tão queridos. Dumbledore mesmo agora sendo só uma pintura ainda nos presenteia com suas frases.

Harry, nunca existe uma resposta perfeita nesse mundo confuso e perturbado. A perfeição está fora do alcance da humanidade, fora do alcance da magia. Em cada momento luminoso de felicidade há esta gota de veneno: o conhecimento de que a dor voltará. Seja sincero com aqueles que ama, mostre sua dor. Sofrer é tão humano quanto respirar. – Dumbledore

Alguns personagens nos emocionam de novo e vão nos emocionar para sempre. Agora fica a espera pela continuação de Animais fantásticos e onde habitam. Eu gostei muito do filme e dessa história nova escrita por J.K. para os cinemas e parece que vai só melhorar, já que vamos ter mais da relação de Grindelawd e Dumbledore e as histórias vão se conectando.

Nunca leu Harry Potter ou quer reler esse ano? Que tal fazer isso em conjunto? Só entrar no face e pedir para participar do grupo #10MESESCOMHARRY (clique aqui).

15095082_1261981947192439_5577528547988018041_n

Anúncios

Autor:

Estudante de Jornalismo na UFF, leitora voraz, que gosta muito de dividir com os amigos o que lê, o que gosta de ler e o que amou ler.

6 comentários em “{euLi} Harry Potter e a criança amaldiçoada

  1. Pingback: {tag} Harry Potter
  2. Olá.
    Eu infelizmente n pude ler todo o post, pois ainda estou lendo a série Harry Potter e, por mais milagroso que possa parecer, ainda n sei ao certo o final.
    Mas até onde eu li fiquei maravilhada!! Um Potter na Sonserina, que aliás é minha casa, preciso dizer que estou feliz 🙂🙂
    Bjsss

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s