Publicado em Notícias

{News} Eu li notícias literárias da semana

Casa Amado e Saramago anuncia programação para a Flip
Criado para celebrar amizade entre os dois escritores, espaço terá lançamentos e mesas. Fonte: O Globo. Continue lendo

Autor de ‘A culpa é das estrelas’, John Green está escrevendo um novo livro
Escritor e youtuber revelou o título da obra e a data de lançamento. Fonte: O Globo. Continue lendo

Prêmio Sesc de Literatura 2017 anuncia vencedores
José Almeida Junior e João Meirelles Filho foram selecionados na categoria romance e contos. Fonte: O Globo. Continue lendo

José Eduardo Agualusa vence o Dublin Literary Award
Escritor angolano receberá 75 mil euros por seu romance ‘Teoria geral do esquecimento’. Fonte: O Globo. Continue lendo

Sem patrocínio, Salão do Livro Infantil e Juvenil chega a 19ª edição
“Salão da sobrevivência” começa na terça-feira e por pouco não foi cancelado. Fonte: O Globo. Continue lendo

Sem patrocínio e com bons autores, começa o Salão do Livro Infantil e Juvenil
Alexandre Rampazo, autor de ‘A Cor de Coraline’, é um dos convidados do evento que será realizado de 21 a 28 de junho, no Rio de Janeiro. Fonte: Estadão. Continue lendo

Prêmio Paraná de Literatura volta reformulado com inscrições on-line
Em sua quarta edição, o concurso da Biblioteca Pública do Paraná selecionará livros inéditos de autores de todo o país nas categorias Romance, Contos e Poesia. Fonte: Publishnews. Continue lendo

Minas Gerais ganhará seu primeiro hotel-biblioteca
O agitador lítero-mineiro Afonso Borges e Rodrigo Mangerotti, gestor do Mercure Lourdes, planejam transformar o hotel em biblioteca. Fonte: Publishnews. Continue lendo

Atendendo a liminar, Estante Virtual retira livro da plataforma
Plataforma foi obrigada a retirar do site o livro ‘Apanhador no campo do centeio’, da Editora do Autor. Fonte: Publishnews. Continue lendo

A fantástica fábrica de bibliotecas
O Instituto Ecofuturo já criou 107 bibliotecas comunitárias por todo o país e acaba de anunciar a construção de outras seis. Fonte: Estadão. Continue lendo

Anúncios
Publicado em Eu li, Outros

{euLi} Uma longa jornada – Nicholas Sparks

UMA_LONGA_JORNADA_1459639227332401SK1459639227BSinopse: Aos 91 anos, com problemas de saúde e sozinho no mundo, Ira Levinson sofre um terrível acidente de carro. Enquanto luta para se manter consciente, a imagem de Ruth, sua amada esposa que morreu há nove anos, surge diante dele. Mesmo sabendo que é impossível que ela esteja ali, Ira se agarra a isso e relembra momentos de sua longa vida em comum: o dia em que se conheceram, o casamento, o amor dela pela arte, os dias sombrios da Segunda Guerra e seus efeitos sobre eles e suas famílias. Perto dali, Sophia Danko, uma jovem estudante de história da arte, acompanha a melhor amiga até um rodeio. Lá é assediada pelo ex-namorado e acaba sendo salva por Luke Collins, o caubói que acabou de vencer a competição. Ele e Sophia começam a conversar e logo percebem como é fácil estarem juntos. Luke é completamente diferente dos rapazes privilegiados da faculdade. Ele não mede esforços para ajudar a mãe e salvar a fazenda da família. Aos poucos, Sophia começa a descobrir um novo mundo e percebe que Luke talvez tenha o poder de reescrever o futuro que ela havia planejado. Luke e Sophia. Dois casais de gerações diferentes que o destino cuidará de unir, mostrando que, para além do desespero, da dificuldade e da morte, a força do amor sempre nos guia nesta longa jornada que é a vida.

Oi pessoal! Como comentei na TBR do Junho água com açúcar, eu tinha zero expectativas sobre esse livro e, infelizmente, não foi uma surpresa a leitura. Eu achei o livro bem mediano pela forma do autor narrar as situações e porque durante muito tempo não acontece nada demais. Os diálogos entre Sophie e Luke são muito sem graça, explicam sua vida um pro outro e ficam dizendo o quanto se amam, mas nada que me arrancasse algum suspiro. O trabalho perigoso de Luke, ele compete montado em touros, a falta de dinheiro para manter a fazenda e os problemas vindo desses dois motivos, não foram contados de uma forma que fizesse com que eu ficasse preza na leitura. Além disso, eu gostei muito mais da história do Ira e da Ruth, que é uma lembrança do que o casal que está vivendo o “agora”.

A história de Ira, preso na neve  por um acidente de carro dialogando com a lembrança de sua esposa, que já faleceu, é bem mais interessante, mostra um amor que já passou por várias etapas. Juntos eles colecionaram inúmeros quadros, que se tornaram uma coleção de valor, mas ele trocaria todo o dinheiro do mundo pra ficar com ela. Clichê, mas é a parte do livro que funciona melhor. E é claro que essas duas histórias se cruzam, se não não faria sentido, não posso contar muito, mas foi uma parte criativa e até gostei de como acabou.

Sexta eu volto com mais um livro do Junho água com açúcar, dessa vez um que eu amei!

Publicado em Eu li

[euLi] Amor Amargo – Jennifer Brown

AMOR_AMARGO_1441839044519211SK1441839044BSinopse: Último ano do colégio: a formatura da estudiosa Alex se aproxima, assim como a promessa feita com seus dois melhores amigos, Bethany e Zach, de viajarem até o Colorado, local para onde sua mãe estava indo quando morreu em um acidente. O Dia da Viagem se torna cada vez mais próximo, e tudo corre conforme o planejado. Até Cole aparecer. Encantador, divertido, sensível, um astro dos esportes. Alex parece não acreditar que o garoto está ali, querendo se aproximar dela. Quando os dois iniciam um relacionamento, tudo parece caminhar às mil maravilhas, até que ela começa a conhecê-lo de verdade…

Gente essa resenha vai ser com spoilers porque não dá, se você vai desistir de ler o post por isso só peço então que dê uma chance para o livro que apesar da escrita da autora ser bem básica o tema é bem importante e o livro cumpre muito bem o seu papel.

Nesse livro nós ficamos conhecendo a Alex e seus dois melhores amigos e o quanto eles se amam. Mas nem todos os relacionamentos são fáceis para ela, já que o pai e as irmãs são bem afastados e a mãe dela morreu em um acidente de carro bem esquisito. Ela sente muita falta de diálogo dentro de casa. Também nunca tinha namorado, então fica encantada com Cole de cara, ele se mostra muito atencioso e apaixonado mas acaba se transformando em um namorado possessivo e agressivo. Ele a ofende, a agride, ofende seus amigos, e a gente tem que tomar muito cuidado na leitura para não chamar a Alex de burra e fechar o livro.

Ela não é burra, mas está presa em um relacionamento abusivo que a faz se sentir inferior e culpada. Isso acontece com muita gente, e tem que ter empatia para entender a história dela. Nós acompanhamos seus sentimentos o tempo inteiro e é bem triste de ver ela se sentir culpada pelas agressões que vai sofrendo, sempre arrumando um jeito de desculpar Cole que aos poucos vai se tornando um monstro.

Eu estava morrendo de vergonha. Não conseguia nem me imaginar contando aquilo para alguém. Aquilo me fazia parecer idiota, ingênua e carente, e eu sabia que não era nenhuma dessas coisas. Sabia que a explicação não era assim tão simples. Mas ninguém entenderia.

Me irritei muito com a Alex, principalmente, quando ela se afasta dos amigos e deixa Cole ser um tremendo babaca com eles. No começo o afastamento parece natural, já que agora ela tem que dividir o tempo que era todo dos amigos com o namorado, mas depois ele começa a impor isso e a maltrata-lá.

O controle era todo de Cole. Toda e qualquer guinada no relacionamento era orquestrada por ele. Era ele quem estava no comando. Era ele quem ditava as regras e dava as ordens.

Ela reconhece o problema e se sente dominada, mas acaba tentando fazer com que ele não sinta raiva e agindo como ele quer, porque há sempre uma desculpa, ele também tem problemas familiares, ele é carinhoso, ele isso… ele dá flores, ele foi no analista. Meninas se você está com qualquer problema assim, se abra com alguém, a culpa nunca é sua. Não se arrisque tanto.

A autora explorou muito bem o tema, a gente consegue entender a dimensão do problema e tudo isso numa narrativa que flui e você lê e consome num piscar de olhos. Não é nenhuma escrita incrível como eu disse, mas acerta o alvo, põe pra pensar no tema, humaniza o. É diferente você saber de um caso e estar dentro da cabeça de uma personagem passando por isso, uma adolescente ainda por cima que já tem que lidar com várias questões da idade. O livro é voltado para os mais jovens, então talvez  a escrita simples facilite a disseminar essa história.

No final do livro ela explica seus objetivos e porque escreveu o livro e ainda traz várias perguntas para você saber identificar uma situação como essa, caso você ou um amigo esteja passando. Nota 10 isso! Leiam!

Meu objetivo era encontrar a resposta para a pergunta mais comum nesses casos: porque ela simplesmente não rompe o relacionamento? Inúmeras vezes ouvi a mim mesma dizendo coisas como: “Jamais permitiria que alguém abusasse de mim. Agrida-me uma única vez e caio fora!”. Na verdade ouvi várias mulheres dizerem coisas parecidas às vezes ficava me perguntando quantas mulheres, que continuaram reféns de um relacionamento abusivo por não terem a menor ideia de para onde ir ou do que fazer , tinham dito: “Jamais permitiria…” ou “Se algum dia um cara me agredir…”.

(…) Da mesma forma, na maioria das vezes, também não é por motivos racionais que permanecemos neles, amamos e, porque amamos, a coisa pode se tornar mais complicada do que uma questão de simplesmente “permitir”.

{news} Eu li notícias literárias da semana

Poeta português Manuel Alegre vence Prêmio Camões 2017
Autor de livros como ‘Praça da Canção’, ele tem trajetória literária e política de destaque. Fonte: O Globo. Continue lendo 

Jo Nesbo emplaca seu detetive Harry Hole na pele de Michael Fassbender
Escritor norueguês já atingiu a marca de 33 milhões de cópias vendidas. Fonte: O Globo. Continue lendo 

Livro traz revelações do arquivo da polícia nazista sobre Olga Benario
Documentados analisados por Anita Leocadia Prestes, filha de Olga, foram abertos em 2015. Fonte: O Globo. Continue lendo 

Veja a programação completa da Flip 2017. Veja
Escritor polonês Adam Zagajewski ganha Prêmio Princesa das Astúrias de Letras
Poeta e ensaísta se transforma no primeiro autor de língua polonesa a ganhar a honraria. Fonte: Estadão. Continue lendo

Nujeen Mustafa conta, em livro, como fugiu da guerra da Síria em sua cadeira de rodas
Ela nasceu com paralisia cerebral e passou a infância na frente da televisão até que a guerra devastou seu país e ela precisou percorrer 5 mil quilômetros em busca de segurança. Fonte: Estadão. Continue lendo

Jabuti procura jurados
Até dia 29 de junho, é possível fazer indicações de pessoas para compor o júri em cada uma das 29 categorias do prêmio. Fonte: Publishnews. Continue lendo

Publicado em Projetos de Leitura

{ConhecendoCervantes} Dom Quixote – Final

No fim de maio terminei de ler O Engenhoso Fidalgo Dom Quixote de La Mancha de Miguel de Cervantes, e virou um dos meus livros favoritos. Apesar de em alguns momentos a leitura ser mais lenta, principalmente o segundo volume me conquistou de vez. Essa e outras leituras da obra de Cervantes fizeram parte do projeto Conhecendo Cervantes que também incluiu a leitura de Novelas Exemplares (ainda falta um post sobre a vida de Cervantes!).

Confira os vídeos anteriores.

Essa parte vai tratar do fim do governo do Sancho, muito interessante os capítulos sobre isso, porque ele não aguenta mais ser vigiado no que come e uma guerra arranjada contra sua “ilha” o faz perceber que isso não combina com ele. É bem bacana que ele faz questão de frisar que “nu chegou e nu vai embora”, ou seja, não lucrou nada com seu governo, não fez empréstimos nem desviou nenhum dinheiro para si. Quem dera tivéssemos mais governantes assim,  apesar da desistência, ele estava fazendo um ótimo trabalho. O narrador chega a dizer que as leis criadas por ele são famosas e consideradas boas.

Uma parte muito divertida é quando Sancho, ainda governador, escreve para sua esposa Teresa contando do seu novo status. Junto com a carta do marido ela também recebe uma da duquesa. Apesar de no começo dizer a Sancho para não procurar por uma situação social diferente das que eles nasceram, a coisa muda totalmente. E suas respostas apesar de muito cordiais, são motivo de risada para os nobres, o que me deixou muito incomodada com a atitudes deles. Fica claro que apesar de soarem bondosos demais, eles acham que a dupla e seus familiares são peças para eles brincarem como querem.

Sancho volta para Dom Quixote, e era o que faltava para o fidalgo decidir sair das comodidades do conforto da casa do Duque. Ele presa muito a sua liberdade e sabe que tem outros deveres a cumprir. O trecho sobre isso é de uma filosofia pura, um tratado sobre a liberdade (eu li uma passagem no vídeo, se você não quiser assistir todo confira: 12:05).

Eles ainda se envolvem em algumas aventuras antes de retornar para casa, conhecem bandoleiros, ricos fingindo serem pastores, nobres querendo cuidar deles e zombar deles ao mesmo tempo… Até que um outro Cavaleiro (fake, já conhecido) o desafia e derrota Dom Quixote, a derrota exige que ele volte para casa e fique por lá um ano, isso deixa ele arrasado e para mim é o motivo do que acontece no final.

Antes do fim ainda temos a descoberta de Dom Quixote de que há uma versão falsa sua e de Sancho andando por aí e um livro sobre eles, é engraçada a forma como ele lida com isso e esse livro escrito por outro autor realmente existiu segundo o texto introdutório.

Foi uma leitura grandiosa para mim, cheia e lições que vão ficar na minha cabeça por muito tempo. Todo esse lado sonhador e libertário nos ensina a dar asas as nossas vontades, e também a ajudar os outros e ser justo.