Publicado em Blogagem Coletiva, Outros

Blogagem coletiva – Experiências Literárias com o #NomeProvisório [Fim do BEDA]

blogagem1Oi pessoal! Último dia de BEDA e último dia da blogagem do #NomeProvisório, meu grupo de blogueiros e de leitura (tudo junto rs). Que finalmente tem um nome! Agora vamos nos chamar Pacto Literário! Outro nome vindo de brincadeiras sobre alguém abandonar o grupo e etc. Se você quiser participar da leitura coletiva só pedir para entrar no grupo no face (aqui). Nós te receberemos bem! ❤

O post de hoje é justamente para falar sobre essa parceria que resultou em amizade e excelentes leituras (momento declaração de amor haha). É muito bacana ler em grupo, ainda mais com cada mês uma nova proposta de leitura, vindo de um grupo com pessoas de gostos variados que acaba fazendo você sair da zona de conforto. Nada melhor do que ler um livro e na sequência ter com quem conversar sobre. Às vezes sai aquela opinião que bate com a sua e você fica feliz ou surge algo novo que você nem tinha pensado e  é melhor ainda.

Nós começamos lendo O bebê de Rosemary de Ira Levin, porque foi bem no Halloween (começamos em outubro), eu nunca tinha lido um livro de “terror” (mesmo que bem de leve). Mas não sei se teria lido esse ótimo livro se não fosse a indicação do grupo. E até hoje fazemos piadas com pactos e o amuleto que aparece no livro feito de tannis. Depois foi a vez de brochar coletivamente com o A biblioteca 24 horas do Mr. Penumbra de Robin Sloan, livro chatinho que todo mundo empurrou para acabar hahahh Até isso em grupo é bom porque você vê que não é só você e dá para falar mal sem spoiler.

Depois foi minha vez de indicar e o que ganhou foi o maravilhoso A máquina de fazer espanhóis do Valter Hugo Mãe. Eu amei ver o pessoal do grupo se esforçando para ler a escrita diferente do autor, e depois se apaixonando pelo livro. A escrita dele é bem poética e pouco ortodoxa requer certa concentração no começo e como Paulo deu a dica até ler em voz alta ajuda. Mas ele se tornou um dos meus autores favoritos da vida.

Depois veio Admirável Mundo Novo do Aldous Huxley, para começar 2017 com chave de ouro, quem leu ficou bem interessado na história e ele trás várias questões que podemos relacionar com a sociedade de hoje. Além de ter inspirado várias distopias . Adorei o empurrãozinho que faltava para ler logo esse.

Fevereiro trouxe Entrevista com o vampiro da Anne Rice, outro livro que já pensava em ler a bastante tempo e só faltava aquele incentivo. Não foi aquela leitura que todos leram, e nem das melhores, mas dá pra salvar algumas partes do livro. No mês seguinte foi a vez de ler um livro que eu já conhecia, mas acho que acabaria não lendo também: Amor Amargo da Jenifer Brown. Um livro bem necessário que fala sobre relacionamento abusivo. E esse mês também me tirou da zona de conforto ao ler um drama escrito por um autor nacional, pelo começo eu achei que talvez não fosse gostar tanto da leitura, mas me surpreendi com A máquina de contar histórias do Maurício Gomyde (indicação da Mércia que lê muitos autores nacionais novos). Estaremos discutindo ele hoje lá no grupo :).

Por fim fica o meu agradecimento aos meus amigos maravilhosos que ainda não tive a oportunidade de conhecer pessoalmente, mas que já tenho um enorme carinho. A cada dia trocamos mais ideias sobre livros e sobre escrever blogs e fazer vídeos no youtube. Mas também falamos da vida e dos nossos dramas. Vocês já se tornaram uma parte importante da dela! Obrigada por me escutarem sempre e pela companhia virtual 😀 Amigos digitais hahahahha

Anúncios
Publicado em Blogagem Coletiva, Debates e Reflexões

[BEDA] Blogagem Coletiva: Meu passado literário

bedaEsse BEDA já começa cheio de novidades! Como já falei por aqui tenho um grupo muito especial de amigos blogueiros, que na dificuldade de um nome melhor, intitulado Nome Provisório, a amizade entre nós só cresce e vai rendendo filhinhos: tem o Setembro Policial que nos uniu, o Grupo de Leitura #NomeProvisório que é aberto para quem quiser participar e agora uma Blogagem Coletiva. Sem falar que o BEDA rolando aqui também é influência deles. Preparamos para os domingos desse mês, posts que iremos fazer com a mesma temática. Vai ter lista, história, dicas de livros…Vai ser bacana! E para começar hoje cada um no seu blog, vai contar um pouco da sua história com os livros e assim vocês ficam conhecendo a gente um pouco mais.blogagem1

~ Meu passado literário ~

Minha memória não é das melhores, então não esperem que eu lembre qual foi o primeiro livro que eu li ou algo do tipo, porque não vai rolar. Mas livros marcam a nossa vida e alguns guardam histórias preciosas além das contidas nas páginas. Então vou deixar fluir algumas minhas.

17742272_1443459705728012_1817279040_n
Eu e minha mãe na Bienal do Livro do RJ de 2006 ou 2007

Sou filha de uma professora de português, maravilhosa, então não me faltou estímulo em
casa, aqui sempre teve muitos livros. Queria conseguir lembrar melhor os livros da infância, lembro de um exemplar rabiscado de Alice no país das maravilhas e também da felicidade de comprar O menino maluquinho na minha primeira bienal lá na quarta-série.

17670936_1440287466045236_1003571983_n.jpgUm divisor de águas para mim e muitos da minha geração foi a saga bruxa mais famosa e amada de todos os tempos: Harry Potter. Eu li o primeiro exemplar que minha mãe tinha, pouco antes do primeiro filme ser lançado se me lembro bem, mas ela não tinha o segundo e os outros. Então fui lendo emprestado até o quinto volume, fiquei no pé de algumas pessoas para isso, o sexto e sétimo ganhei de presente do meu pai. Foram os primeiros livros que eu senti aquela necessidade louca de ter, aí já estava mordida de vez pela tracinha dos livros, mas ainda não era uma acumuladora. Só fui ter todos os livros de Harry Potter em 2015, e termine de reler ano passado, continuo achando incrível.

17619549_1440287359378580_1256700124_nAgatha Christie também foi uma autora importante, meu padrasto tem uma coleção na estante, já li todos os dele, e foi mais ou menos minha fase depois de Harry Potter, não sei ao certo o ano. Sigo admirando os romances policiais da autora, ano passado tive a oportunidade de ler uma biografia escrita por um excelente autor e também fã (Agatha Christie From My Heart de Tito Prates), a entrevista que fiz com ele foi muito bacana. Ainda nesse momento investigativo, mas passeando também pela história e arte, li todos os livros do Dan Brown. Aqui já tinha sido lançado o Anjos e Demônios porque comecei por ele, então isso já era 2004-2005, também eram da minha mãe.

Em 2008 eu tive meu momento Crepúsculo, podem me julgar, fui daquelas que leu o terceiro e o quarto no computador porque vazou antes na internet de tanta ansiedade. Nem tenho o último volume, só os 3 primeiros, depois de um tempo desanimei de comprar e hoje estou querendo passar os outros para frente. Não acho que a saga sobreviveria no meu gosto a uma releitura e nem tenho vontade de fazer isso. Hoje concordo com várias críticas, e sei que a escrita da Sthephenie Meyer não é lá essas coisas, mas foi um momento divertido e romântico. Eu só consegui definir bem o ano porque eu estava no meu último da escola, mudei de colégio, então fica fácil lembrar algumas leituras de 2008.

17742278_1443443689062947_1728149607_nNa verdade tenho uma história bem mais bonita desse ano relacionada aos livros. Como eu disse antes, eu fui concluir meu Ensino Médio em outra escola que minha mãe dava aula, achando que eu teria mais chances de passar no vestibular (estudei a vida toda como bolsista na primeira escola e depois fui ser bolsista em outra também). A decisão veio depois que as aulas já tinham começado, e antes da mudança, uma professora incrível de história que eu tinha na escola antiga estava lendo A menina que roubava livros e contando um pouco sobre o Holocausto ela comentou do livro. Eu fiquei com muita vontade de ler e pedi a ela emprestado, só que nesse meio tempo, mudei de escola, mas ela não esqueceu meu pedido. Um dia estava esperando o ônibus e ela passou por mim (a primeira escola era muito perto da minha casa) e disse algo do tipo: “a que bom te encontrar, ia deixar o livro com sua mãe na escola mas então toma aqui”, eu disse obrigada, peguei a sacola, o ônibus estava vindo, me despedi rápido e e subi no ônibus. Só fui ver depois que o livro estava embrulhado, o embrulho lindo dourado da livraria Gutemberg, e só assim percebi que era presente. Vocês imaginam a felicidade da pessoa né, e fiquei muito sem graça de nem ter agradecido direito na hora. Nesse ano também li O caçador de pipas do Khaled Hosseini, um dos meus autores favoritos da vida.

Em 2010 eu comecei a fazer uma lista dos livros que li, faço até hoje no mesmo arquivo, impressionante como sete anos se passaram rápido. O ano anterior foi de poucas leituras, minha cabeça estava no pré-vestibular, mas me arrisquei a ler os primeiros de O tempo e o vento do Veríssimo (preciso retomar um dia) e li O mundo de sofia de Jostein Gaarder por recomendação do professor de filosofia do pré-vestibular (esse livro tem a mesma idade que eu).  Mas 2010 foi um ano de mudanças, trabalhei ela primeira vez e tive aquele gostinho inesquecível de comprar livros com o próprio dinheiro. Me dei de presentes livros que estão nos meus favoritos até hoje: a saga Millenium de Stieg Larsson e A mulher do viajante do17618880_1440287406045242_592141593_n.jpg tempo de Audrey Niffenegger. Os livros do Larsson vieram por indicação de uma colega no pré, mas o da Audrey foi aquele tiro no escuro na livraria. Gosto tanto desse livro que traz uma história de amor tão linda, que fiquei muito chat com histórias de amor, o nível ficou alto para me agradar. Também li o meu primeiro romance histórico da Philippa Gregory <3. Nesse ano comecei na faculdade no meio do ano, e ainda assim li 12 romances, depois a meta foi sendo aumentar o número de leituras, conhecer novos autores. Foi o ano que foi o segundo divisor depois de HP, me tornei uma leitora mais autônoma.


17671166_1443447319062584_119164568_n2011
trouxe outros autores favoritos como: Jane Austen,17506111_1443443655729617_1916484927_n John Boyne, Mia Couto. Foi o ano que comecei a ler As crônicas de Gelo e Fogo do George R.R. Martin, ou seja, se fosse um por ano já teria acabado. (Bora Martin!) Em 2012 a listinha cresceu muito, 27 livros, e s grandes revelações acho que foram Jogos Vorazes e Jorge Amado. Os livros destaques de 2013 foram de autores já citados, eu queria mais desses queridos que eu tinha descoberto, mas descobri nomes clássicos também como Poe e Borges (e outros autores latino americanos importantes), 17741421_1443459745728008_1815478133_nmas também foi a vez de chorar com A culpa é das estrelas. E foi o ano que o blog surgiu! O blog foi e é importante, um estímulo a mais para manter as leituras em dia o fato de ter com que compartilhar. O número de leituras só vem17760289_1443459815728001_88988197_n crescendo e acredito que a qualidade do que busco ler hoje também, a meta é sempre ler mais e explorar melhor o mundo literário, seja com autores de países e culturas diferentes, ou  que ajudam a expandir a mente e nos libertar de preconceitos, ou ainda com aqueles clássicos que estão na dívida. Vou parar o flashback por aqui já que chegamos há um passado mais recente, quer saber quais foram as leituras de 2014, 2015, 2016 e as que já foram feitas esse ano? Só navegar aqui pelo blog ou pelo canal no youtube.

Outra coisa que os livros sempre me trouxeram de bom foram amigos, a maioria dos meus amigos mais próximos gostam de ler. É um assunto que une e que você pode conversar horas sobre.

Confiram os outros posts do Nome Provisório: Ponto para ler, Plataforma Três Quartos, Café com Luke, Amante dos Livros e Geraldas