Publicado em Eu li, Outros

{euLi} Quase Memória – Carlos Heitor Cony

QUASE_MEMORIA_15047343264153SK1504734329B

Sinopse: Quase memória explora o território situado entre a memória e a ficção a partir de um punhado de recordações do narrador-autor. Nelas, a figura de Ernesto Cony, seu pai, é o centro e a motivação para o exercício das lembranças que, constantemente, adquirem contornos do imaginário. Nostalgia, cumplicidade, vergonha, saudade: os mais diversos sentimentos despertados pelo recebimento de um misterioso pacote sem remetente. O livro recebeu importantes prêmios literários no Brasil e, mais do que isso, conquistou o coração de milhares de leitores desde seu lançamento.

Que delícia de leitura, fiquei pensativa, emotiva, e as histórias estão longes de ser piegas ou clichês… Me peguei pensando na minha família, nas minhas próprias memórias, no meu pai.

A tag como sempre me trazendo experiências novas, nunca tinha lido nada do Cony. Esse livro ele escreveu depois de um período de 20 anos sem lançar nada, é um livro aclamado que eu não conhecia. O autor, membro da Academia Brasileira de Letras, nasceu em 1926 e no livro retoma memórias da sua família, principalmente de seu pai Ernesto Cony. O livro mistura ficção com realidade, numa quase biografia. No começo o autor/narrador/personagem recebe um misterioso pacote de seu pai (já falecido há dez anos) o que o leva pelas lembranças.

Tem tantas histórias divertidas, Ernesto é uma figura. O jornalista fez de tudo para sustentar a família, até vender galinhas quando o jornal que trabalhava foi depredado na Revolução de 30. Adorava encantar o filho com os balões juninos, sempre o surpreendia com situações inusitadas, e contava seus próprios causos usando a imaginação.

O livro também mostra um jornalismo que não existe mais, muitas vezes amador, mas com mais individualidade… O próprio filho segue os passos do pai no jornalismo e acompanha essas mudanças de perto, a modernização, bem interessante.

Confira o vídeo que conto mais!

Saiba mais sobre o autor.

Discurso de posse do Cony na ABL

Quase memória na amazon compre aqui e ajude o blog 🙂 (clique aqui).

Tag Experiências Literárias, saiba mais. 

Publicado em Eu li, Outros

{euLi} Extraordinário – R. J. Palacio

EXTRAORDINARIO_1377304151BSinopse: August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade… até agora. Todo mundo sabe que e difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele e um menino igual a todos os outros.

Esse livro é uma graça, estava há um bom Tempo parado na minha prateleira, eu fiquei com vontade de ler quando todos estavam falando dele mas depois me deu alguma trava… O lançamento do filme está chegando então resolvi ler logo, já que é um tema que considero muito importante.

No começo achei a escrita um pouco ok só, mas quando entendi que a ideia era que uma criança comum estivesse te contando compreendi melhor a forma como a história estava sendo narrada. Me lembrou da forma como minha irmã me conta as coisas que acontecem em seu dia a dia.  E é isso que temos, um menino contando a sua trajetória, intercalado com outros narradores que também colocam o seu ponto de vista. O que temos de especial é a história em si, porque ela vai mostrar como as diferenças podem ser respeitadas e os desafios para se chegar a isso.

Os pais do August gostariam de protege-lo do mundo, porque o mundo não está acostumado a deixar passar nada de diferente, ele não só nota, se espanta e analisa, como muitas vezes é cruel. E isso desde as crianças. Mas os pais sabem que Auggie precisa conviver com outros de sua idade, porque coisas maravilhosas podem vir disso também. Além disso, ele precisa ir para a escola para aprender mais do que a mãe pode ensinar em casa. Achei muito bacana como a autora colocou nas poucas palavras do menino o receio e dúvidas dos seus pais.

Ele vai para a escola e é recebido por um diretor bondoso (com nome ridiculamente desnecessário) e por algumas crianças para conhecer o lugar. Daí temos uma história que mostra o que esperamos, que algumas crianças vão ser más e outras amigas, e a maioria na verdade também precisa de tempo para entender que ele é muito mais do que a aparência. É bom que vemos como essas crianças não devem ser isoladas, que elas tem potencial de ensinar as outras a ter empatia com os problemas dos outros.

O bullying está presente mas o livro tem a mensagem positiva de que ele pode ser vencido, que muitas crianças precisam conviver com as diferenças para aprenderem a ser seres humanos melhores. Eu indico o livro para todas as idades; para os adultos porque a inclusão precisa ser refletida, e existem várias situações familiares que você pode se identificar, principalmente se você for pai/mãe ou conviver com crianças e adolescentes; e para as crianças para que elas aprendam a ser gentis e respeitar o outro. Acredito que o livro seja uma excelente ferramenta, porque você está pelo menos por um momento na cabeça de outra pessoa e isso faz com que você entenda.

A importância da família é um destaque importante e um ponto alto para mim no livro, por mais que o personagem tenha que enfrentar todas as barreiras fora de casa, ele sabe que pode contar com a sua família. E infelizmente nem todos os lares são assim, às vezes o preconceito está dentro de casa. Então se você tem um filho que foge do padrão que você acredita, aprenda a enxergar mais do que isso. Ler o livro pode ser uma boa ajuda.

Cinema

O filme estreia na semana que vem e as expectativas são altas por conta do trailer. No elenco teremos Julia Roberts como a mãe do August e Olwen Wilson como o pai, A interpretação de Auggie fica por conta de Jacob Trambley que fez o filme O quarto de Jack (que eu amei).

Compre o livro pelo link na Amazon e ajude o canal – clique aqui.

Já leu o livro? Gostou? Você também pode gostar de: A coisa terrível que aconteceu com Barnaby Brocket do John Boyne (resenha).

Publicado em Dicas, Eu li, Outros, Tem série

{euLieVi} O conto da aia – Margaret Atwood

51X40Du9otL._SX331_BO1,204,203,200_Sinopse: Escrito em 1985, o romance distópico O conto da aia, da canadense Margaret Atwood, tornou-se um dos livros mais comentados em todo o mundo nos últimos meses, voltando a ocupar posição de destaque nas listas do mais vendidos em diversos países. Além de ter inspirado a série homônima (The Handmaid’s Tale, no original) produzida pelo canal de streaming Hulu, o a ficção futurista de Atwood, ambientada num Estado teocrático e totalitário em que as mulheres são vítimas preferenciais de opressão, tornando-se propriedade do governo, e o fundamentalismo se fortalece como força política, ganhou status de oráculo dos EUA da era Trump.

Sabe aquele livro que você fica pensando, não pode virar realidade, não pode virar realidade, please… É esse. Porque a história é baseada em questões extremamente atuais então esse cenário futuro horroroso não seria nem um pouco impossível em qualquer lugar do mundo. E isso assusta.

Mulheres sem direitos e ainda tendo que escutar que isso foi o melhor para elas já que antes elas eram exploradas e que agora podem ter o seu objetivo real, ter filhos, em paz e que não vão mais ser violentadas por ninguém já que agora estão protegidas. É como se aqueles argumentos que culpabilizam as vítimas de estupro ganhassem status de verdade absoluta e a função da mulher regredisse. Triste.

Um governo teocrático, em que as outras religiões são caçadas, as mulheres férteis são separadas para serem aias e terem filhos para os poderosos (porque devido a poluição o número de crianças cai drasticamente).  Em uma cerimônia para lá de louca, em que são obrigadas a se deixar violentar. Forçadas, separadas de suas famílias, tentam fazer quase que uma lavagem cerebral com elas e o medo incutido da morte ou de serem mandadas para um lugar horrível é tão forte que elas não podem confiar nem umas nas outras.

Andam sempre em pares mas não podem ser amigas, nem conversar muito e ainda usam uma viseira que tapa parcialmente a visão e elas só podem olhar para o chão. Só saem para fazer compras, as cerimonias oficiais, expurgos que presenciam, ou quando uma vai parir..essa é a vida de uma aia que acompanhamos em 1ª pessoa e que nos sensibiliza e desespera. Acompanhamos também lembranças de seu passado, sua família e o que aconteceu no mundo. Há uma curiosidade divida entre saber como as coisas ficaram dessa forma, os detalhes e o futuro do que vai acontecer com a nossa aia que acabou esbarrando com uma forma de resistência.

A adaptação criada pela Hulu é uma das melhores adaptações de todos os tempos. Impressionante como o roteiro é bom, tudo que foi adicionado na história foi para que essa crescesse. Tem mudanças, mas são mudanças para a melhor (pelo menos a maioria). Mostra que uma adaptação não precisa ser idêntica ao livro, já que não é nem possível, mas que pode respeitar o livro e seus personagens e entregar até mais. Como o livro é em primeira pessoa estamos de certa forma limitados ao que a personagem principal sabe e ela que foi logo presa não sabe o que aconteceu com vários outras, também não tem detalhes políticos muito profundos, e a série explora tudo de forma brilhante. Ainda contando mais sobre a vida dos outros personagens e alimentando nossa curiosidade. E vai ter continuação!

Confira mais das minha opiniões no vídeo:

Publicado em Outros

2º Sorteio #SetembroPolicial Ano 2

banner sorteio 2.JPG

Mais um sorteio cheio de parceiros maravilhosos! Nesse você concorre aos livros:  Cela sem portas de Marcel Trigueiro, O homem que busca sua sombra de David Lagercrantz (Millenium Vol. 5),  Menino de Deus de Lindoberto e Os três suspeitos e outras histórias de Tito Prates. E mais uma caneca lindona do Setembro Policial e dois marcadores! Fica o nosso muito obrigado aos autores que cederam seus livros tão gentilmente e apoiam nosso projeto. E a Companhia das Letras que embarcou no nosso projeto esse ano!

Regras

  1. Curtir as páginas no facebook:
    Amante dos livros – clique aqui
    Conversa de livro – clique aqui
    Dicas da Isa – clique aqui
    Eu li ou vou ler – clique aqui
    Jeniffer Geraldine – clique aqui
    Ponto para ler – clique aqui
    Plataforma 9 3/4 – clique aqui
    Literatura Policial – clique aqui
  2. Curtir e marcar dois amigos no comentário na foto promocional no facebook: clique aqui

Regulamento completo:

  1. Serão sorteados um exemplar dos seguintes livros: Cela sem portas de Marcel Trigueiro, O homem que busca sua sombra de David Lagercrantz (Millenium Vol. 5),  Menino de Deus de Lindoberto e Os três suspeitos e outras histórias de Tito Prates. E mais uma caneca lindona do Setembro Policial e dois marcadores! 😉
  1. O sorteio será feito em 22/09/2017, através da ordem dos comentários no facebook que poderão ser feitos até o dia 21/09/2017.
  2. Poderá participar deste sorteio qualquer pessoa física, portadora de CPF regularizado, residente e domiciliada no território nacional.
  3. Só estarão qualificadas para concorrer ao sorteio as pessoas que cumprirem as regras acima.
  4. O prêmio é individual e intransferível. Em hipótese alguma poderá ser trocado por outro produto/prêmio ou convertido em dinheiro.
  5. O vencedor será contatado pelo blog Eu li ou vou ler  pelo facebook e por e-mail para enviar seus dados completos (nome, endereço, e-mail e outros dados que venham a ser solicitados), para assim poder receber o prêmio em casa. Caso não responda o contato até o dia 27/09, um novo sorteio será realizado.
  6. Se não for constatado o cumprimento de todas as regras no momento da conferência e/ou o(s) contemplado(s) tenha(m) um perfil considerado falso, será realizado um novo sorteio.
  7. O prêmio será enviado ao vencedor (a) dentro do prazo de 60 (sessenta e cinco) dias úteis contados a partir da data em que entrar em contato com o blog Eu li ou vou ler  e enviar seus dados de entrega. As despesas do envio são de responsabilidade dos autores e da editora Companhia das Letras. O blog Eu li ou vou ler não se responsabiliza pelo envio dos livros, já que esse sorteio está sendo feito em conjunto com os autores e a  editora, que enviarão para o premiado os prêmios que estão sob suas responsabilidades.
  8. Nesse sorteio o blog Eu li ou vou ler está responsável pelo envio dos 2 marcadores e da caneca.
  9. O prêmio será enviado apenas para endereços dentro do território brasileiro.
  10. Os participantes isentam o blog Eu li ou vou ler e os outros participantes por falhas na transmissão eletrônica de seus dados e/ou das respostas e/ou por falhas de qualquer natureza verificadas durante o período do sorteio, nos meios de comunicação, de rede ou dos computadores, hardware ou software, bem como por quaisquer danos verificados ou por aqueles fatos decorrentes de caso fortuito ou força maior.
  11. O blog Eu li ou vou ler reserva-se o direito, a seu critério exclusivo, de cancelar, encerrar, modificar ou suspender o sorteio a qualquer hora, caso haja motivo de irregularidade ou fraude que afete qualquer etapa do sorteio, com relação ao cadastramento, indevida obtenção ou envio de respostas relacionadas ao sorteio por parte de qualquer participante.
  12. Casos omissos não previstos neste regulamento serão analisados e decididos pelos organizadores da promoção, que terão direito à decisão soberana e irrevogável.
  13. O participante inscrito na promoção aceitou integralmente os termos do regulamento desta promoção.

Participem!🙂