Publicado em Eu li

{euLi} A máquina de contar histórias -Maurício Gomyde

A_MAQUINA_DE_CONTAR_HISTORIAS_1401363728BSinopse: Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias , o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das filhas, sem amigos… O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar.
Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família.

Esse livro foi a leitura de abril do meu grupo de leitura Pacto Literário (antes Nome Provisório). Eu demorei a começar a leitura, eu ouvi alguns amigos dizendo que choraram já no começo, confesso que fiquei com medo do livro ser muito apelativo nesse sentido. Eu sou meio difícil de chorar lendo, mesmo emocionada, e passei o começo ok, apesar da perda que os personagens sofrem. Foi um livro que demorou um pouco a me conquistar, porque os personagens já começam sofrendo antes de eu ter aquela preocupação forte por eles. Comecei a gostar mais do livro quando eu vi que o grande foco da história era um pai tentando reconquistar as filhas, e no fim quando o autor faz várias conexões nas atitudes dos personagens que não posso contar quais.

Todos na família tem nome com V, o casal Vinícius e Viviana tem uma relação de apoio e feliz e são pais da Valentina e da pequena Vida. Tudo ia relativamente bem, apesar de Vinícius trabalhar demais, até Viviane descobrir um câncer. Nosso pai em vez de dar todo apoio a elas, se distancia ainda mais e se afunda na carreira para fugir do problema, isso gera uma revolta totalmente compreensível por parte de Valentina que viu a mãe morrer sozinha.

No começo temos muitas lamentações de Vinícius, aquelas famosas lamentações depois que não adianta mais, e ele dizendo que não sabe o que a Valentina pensa e que ela não se abre. Sendo que ela gritou na cara seus motivos. Não entendi o que ele não estava entendendo. Mas depois que ele passa de fato a lutar pelo amor das filhas e viaja com elas para tentar concertar as coisas e ter um tempo só com elas é que o livro todo melhora.

Também é um livro que debate o papel do escritor, se ele deve escrever com técnica pra vender ou com o coração e pela arte, ou os dois e se dá para ser as duas coisas. Vinícius é um escritor prestigiado por muitos fãs, um “Nicholas Sparks brasileiro”, e escreve romances que levam todas as lágrimas. Mas como ele pode ser isso e ser tão frio com a família? Ele é super metódico para escrever e reconhece que escreve de forma fria para atender resultados. Uma vez uma professora quando percebe que ele escreve bem o dá um livro de técnicas, o que era um empurrão acaba virando sua bíblia. Com toda a mudança para reconquistar as filhas ele acaba se deparando com a escrita de Valentina, caótica mas cheia de emoção e força. E essas meninas ensinam muito para ele.

É um livro que vai falar de perda e de perdão. Aquilo de que os pais também são seres humanos que erram bastante e que você deve ser capaz de perdoar são temas importantes.

Junho água com açúcar

0]

Leitura em grupo do #PactoLiterário (cliqueaqui)

18835852_1932337260125277_6469018423776222532_n

Publicado em Projetos de Leitura

{ConhecendoCervantes} Dom Quixote – Vol2

O_ENGENHOSO_FIDALGO_DOM_QUIXOT_14810785041634SK1481078504BOi pessoal! Hoje vamos voltar a falar de O Engenhoso Fidalgo Dom Quixote de La Mancha, para quem não sabe ainda, temos o projeto Conhecendo Cervantes sobre esse livro e também sobre Novelas Exemplares (confere nessa playlist o que já falamos). O livro sobre Dom Quixote na verdade é composto de dois volumes, e depois de falar do primeiro, chegou a hora de falar sobre o segundo. Eu dividi essa leitura em mais ou menos 24 capítulos por post/vídeo (confira o cronograma), então hoje vamos até o capítulo 24.

O autor já começa no epílogo comentando sobre esse tal livro de Dom Quixote que circulou escrito por um outro autor, e de como isso não ameaça em nada seus lucros e sua fama e que ele não vai perder tempo ofendendo o outro autor. Mas ele conta a resolução que ele teve para o final desse livro e que evitaria esse tipo de coisa.

Como terminou o outro volume Dom Quixote está em casa recebendo os cuidados da sobrinha e da empregada que não querem que ele saia mais de casa e se envolva em maluquices. Também estão preocupados os amigos,principalmente, o cura e o barbeiro. Eles até ficam com raiva de Sancho quando ele vem visitar o mestre, achando que ele que incentiva essas viagens. O fiel escudeiro explica para o mestre qual a opinião das pessoas sobre ele a pedido dele.

_No que toca_ prosseguiu Sancho _ a valor, cortesia, façanhas, e missão de Vossa Mercê, há mui diversar opiniões: uns dizem “louco, mas gracioso”, outros, “valente, mas desgraçado”; outros , “cortês, mas impertinente”; e assim vão discorrendo, de tantas formas e feitios que nem a Vossa Mercê nem a mim nos deixam costela inteira.

Mas também aparece um outro personagem, Bacharel Carrasco, que parece a princípio incentivar essa loucura, e ainda conta para Quixote que há um livro sobre ele contando todas as suas façanhas até agora. E o livro bate com o que a gente leu no primeiro volume.  Mas que depois descobrimos que faz parte da trama para que ele fique em casa, e que pode até vir a aparecer como vilão porque ficou com raiva do fidalgo.

Em alguns capítulos dessa parte nosso tradutor vai dizer que o tradutor acredita que sejam inverossímeis, alguns por que Sancho vai dizer coisas muito profundas para o personagem e outros que acontecem coisas malucas demais para Dom Quixote dizer que foi assim que aconteceu. O que é bem irônico porque as coisas quem o fidalgo contam são sempre meio malucas mesmo, não vi diferença.

Temos uma parte em que Dom Quixote viaja a Toboso pra encontrar sua amada, mansão faz ideia de onde ela mora, e acredita que Sancho sabe e tem que apontar o caminho. Para se ver livre disso, Sancho que nunca a viu, inventa que ela é uma camponesa que vem vindo e como Dom Quixote não acredita, diz que ela tá enfeitiçada aos olhos dele para ele não reconhecer. Isso da feitiçaria de um “necromante” que sempre atrapalha Dom Quixote é um recurso que aparece muito ao longo da história, usado como desculpa oras por um oras pelo outro.

Pontos interessantes que acontecem nessa história: um duelo em que milagrosamente Dom Quixote ganha, é claro por sorte, mas que ele fica se achando; um casamento que sai totalmente fora do esperado e que ele acaba ajudando só com a sua coragem; ele entra numa caverna e lá dentro vê maravilhas e acha que passou dias mas só ficou uma hora; a amizade com uma família que fica na dúvida se ele é louco ou muito sábio.

É um louco com intervalos lúcidos.

Publicado em Livro Infantil

{livroinfantil} Gertrude sabe de tudo – Rafael Nolli

Ana Clara está de volta para falar sobre o livro Gertrude sabe de tudo de Rafael Nolli, que muito gentilmente nos enviou, bora incentivar as crianças a lerem e não o contrário, ok?

E aproveito para parabenizar novamente a Ana, minha irmãzinha amada, que acabou de fazer dez anos! Te amo!

Publicado em Dicas

[BEDA] Flip – Festa Literária Internacional de Paraty

flip-logoOi pessoal! Hoje resolvi falar um pouco da Flip, um evento literário que morro de vontade de ir (espero concretizar isso esse ano), que acontece em Paraty aqui no RJ desde 2003. Lá autores nacionais e internacionais se reúnem em mesas de debates sobre temas variados que envolvem várias formas culturais. Esse ano o evento acontece entre 26 e 30 de julho. “Flipinha, FlipZona e FlipMais compõem o programa da festa, com atividades que combinam literatura infantojuvenil, performance, debates, artes cênicas e visuais”.

26865365331-86.png

Toda edição faz uma homenagem á algum autor brasileiro, e esse ano será sobre Lima Barreto (saiba mais sobre ele). Me sinto numa dívida imensa por não ter lido nada dele ainda, mas pretendo mudar isso em breve. O ator Lázaro Ramos lerá trechos de suas obras, durante uma apresentação ilustrada pela historiadora Lilia Schwarcz. “Conhecido por interpretar personagens marcados por suas condições sociais e raciais, como Zumbi do Palmares e Madame Satã, Lázaro Ramos também lançará no festa o seu livro “Na minha pele”, no qual aborda a sua trajetória como ator negro. Lilia Schwarcz levará a Paraty seu novo olhar sobre o autor homenageado, resultado de pesquisa de mais de uma década que gerou a biografia “Lima Barreto, triste visionário”, que será lançada em junho” (O Globo).

Aluns livros importantes do autor:

TRISTE_FIM_DE_POLICARPO_QUARESMA_1255287779B

Sinopse: Para Major Quaresma, a Pátria é um ideal que está acima de tudo. Visionário por excelência, suas idéias colocam-no em várias situações embaraçosas e levam-no até a ser internado em um manicômio. Tímido, discreto, ingênuo, é também uma palha de pureza a navegar num oceano de podridão. Este é um livro escrito com todos os nervos, mas principalmente com o coração, e que se destina a quantos tenham orgulho de ser brasileiros.

CLARA_DOS_ANJOS_1231451190B

Sinopse: “Em Clara dos Anjos relata-se a estória de uma pobre mulata, filha de um carteiro de subúrbio, que apesar das cautelas excessivas da família, é iludida, seduzida e, como tantas outras, desprezada, enfim, por um rapaz de condição social menos humilde do que a sua. É uma estória onde se tenta pintar em cores ásperas o drama de tantas outras raparigas da mesma cor e do mesmo ambiente. O romancista procurou fazer de sua personagem uma figura apagada, de natureza “amorfa e pastosa”, como se nela quisesse resumir a fatalidade que persegue tantas criaturas de sua casta: “A priori”, diz, “estão condenadas, e tudo e todos parecem condenar os seus esforços e os dos seus para elevar a sua condição moral e social.” É claro que os traços singulares, capazes de formar um verdadeiro “caráter” romanesco, dando-lhe relevo próprio e nitidez hão de esbater-se aqui para melhor se ajustarem à regra genérica. E Clara dos Anjos torna-se, assim, menos uma personagem do que um argumento vivo e um elemento para a denúncia.”

CONTOS_COMPLETOS_DE_LIMA_BARRETO_1289603834BSinopse: Com organização, introdução e notas de Lilia Moritz Schwarcz, esta edição reúne os 149 contos do autor, resgatados por meio de pesquisas em manuscritos, edições originais, jornais e revistas da época. Tanto os contos menos conhecidos quanto alguns mais famosos, como “A Nova Califórnia” e “O homem que sabia javanês”, ressaltam o aspecto autobiográfico que, segundo a organizadora, perpassa toda a carreira de Lima Barreto.

Autores confirmados

1492471676300Uma das atrações já confirmadas é a presença da autora Scholastique Mukasonga. Ela nasceu em Ruanda e é radicada na França. “Mukasonga terá os livros Nossa Senhora do Nilo e A Mulher dos Pés Descalços publicados no País, pela editora Nós, com tradução da poeta Marília Garcia” (Fonte: Estadão).

marlon-e1490708859364

Outra presença confirmada é a do autor jamaicano Marlon James, vencedor do Man Booker Prize em 2015 pelo livro A Brief History of Seven Killings. O livro de Marlon James, no Brasil, vai se chamar Breve História de Sete Assassinatos e será publicado pela Intrínseca. A obra é de ficção mas fala sobre o ataque a Bob Marley em  1976 (saiba mais).

Publicado em Dicas

{Blogagem coletiva} Especial Nacional: livros brasileiros favoritos

Oi pessoal! Na blogagem coletiva de hoje o objetivo é indicar livros nacionais que amamos. Eu ainda acho que deveria ler mais, tenho uma dívida com vários autores, mas aí vão alguns que gosto muito:

Dois Irmãos – Milton Hatoum

DOIS_IRMAOS_1480183691283SK1480183691BSinopse: Dois Irmãos é a história de como se constroem as relações de identidade e diferença numa família em crise. É a história de dois irmãos gêmeos – Yaqub e Omar – e suas relações com a mãe, o pai e a irmã. Moram na mesma casa Domingas, empregada da família, e seu filho. Esse menino – o filho da empregada – narra, trinta anos depois, os dramas que testemunhou calado. Buscando a identidade de seu pai entre os homens da casa, ele tenta reconstruir os cacos do passado, ora como testemunha, ora como quem ouviu e guardou, mudo, as histórias dos outros. Do seu canto, ele vê personagens que se entregam ao incesto, à vingança, à paixão desmesurada. O lugar da família se estende ao espaço de Manaus, o porto à margem do rio Negro: a cidade e o rio, metáforas das ruínas e da passagem do tempo, acompanham o andamento do drama familiar. Prêmio Jabuti 2001 de Melhor Romance.

Dona Flor e seus dois maridos – Jorge Amado (resenha)

DONA_FLOR_E_SEUS_DOIS_MARIDOS_1284851453BSinopse: Num domingo de Carnaval, Vadinho parou de sambar e caiu duro. Uma vida de boemia chegava ao fim: cachaça, jogatina e noites de esbórnia arruinaram o jovem malandro. Dona Flor acorreu em prantos ao corpo do marido, fantasiado de baiana. Em sete anos de casamento, sofrera com as safadezas de Vadinho, mas o amava. Viúva, Florípedes Guimarães concentra-se nas aulas de cozinha na escola Sabor e Arte. Um ano depois da morte de Vadinho, porém, o desejo do corpo lhe incendeia o recato da alma.

O farmacêutico Teodoro Madureira surge como pretendente. Do namoro e de um noivado pudico, eles passam ao casamento. Cerimonioso e equilibrado, o segundo marido é o oposto do primeiro. Dr. Teodoro vive para a farmácia e para os ensaios de fagote. Flor é feliz com ele, mas sente um vazio que não sabe definir. Certa noite, depois de um ano de casada, dona Flor toma um susto: Vadinho está nu, deitado na cama, rindo e acenando para ela. O fantasma do malandro passa a viver com o casal. No melhor estilo de crônica de costumes, Dona Flor e seus dois maridos descreve a vida noturna de Salvador, seus cassinos e cabarés, a culinária baiana, os ritos do candomblé e o convívio entre políticos, doutores, poetas, prostitutas e malandros. Uma das mais conhecidas personagens femininas do autor, dona Flor encarna contradições bem brasileiras. Dividida entre o fiel e comedido Teodoro e o extravagante e voluptuoso Vadinho, ela decide viver o melhor de dois mundos.

A casa dos budas ditosos – João Ubaldo (resenha)

A_CASA_DOS_BUDAS_DITOSOS_14168403771919SK1416840377BSinopse: Ao receber, segundo afirma, um pacote com a transcrição datilografada de várias fitas, gravadas por uma misteriosa mulher, o escritor João Ubaldo Ribeiro não podia imaginar o que o esperava.
E o inocente leitor, que sequer pode suspeitar o que o aguarda em cada uma das páginas deste livro. Nelas se conta uma vida. E a suposta autora teria enviado seu testemunho para que fosse utilizado para o volume sobre a luxúria da Coleção Plenos Pecados.
O escritor aceitou o oferecimento e o resultado final está agora diante de você. Que deve preparar-se para um relato pouco comum, às vezes chocante, às vezes irônico, sempre instigante. Na verdade, dificilmente a ficção poderia alcançar os limites do que a devassa senhora viveu e narra em detalhes riquíssimos.
Se o leitor tem alguma dúvida, ela logo se dissipará, neste fascinante mergulho na vida espantosa de uma mulher sem dúvida excepcional, cuja narrativa alcança as dimensões de um retrato sociológico de toda uma cultura e uma geração, envolvendo um dos pecados mais indomáveis, e capitais. A luxúria.

Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios – Marçal Aquino (resenha)

EU_RECEBERIA_AS_PIORES_NOTICIAS_DOS_SEUS_1231381144BSinopse: Numa cidade de garimpo do Pará, conflagrada pelas tensões de uma corrida do ouro, um fotógrafo vive uma paixão clandestina com uma mulher misteriosa e sedutora. Mesmo sabendo dos riscos do jogo, ele decide ir até o fim — e agora está de volta para relatar o que viveu.

Vidas Secas – Graciliano Ramos (resenha)

VIDAS_SECAS_1426915024770SK1426915024BSinopse: O que impulsiona os personagens é a seca, áspera e cruel, e paradoxalmente a ligação telúrica, afetiva, que expõe naqueles seres em retirada, à procura de meios de sobrevivência e um futuro. Apesar desse sentimento de transbordante solidariedade e compaixão com que a narrativa acompanha a miúda saga do vaqueiro Fabiano e sua gente, o autor contou: “Procurei auscultar a alma do ser rude e quase primitivo que mora na zona mais recuada do sertão… os meus personagens são quase selvagens… pesquisa que os escritores regionalistas não fazem e nem mesmo podem fazer …porque comumente não são familiares com o ambiente que descrevem…Fiz o livrinho sem paisagens, sem diálogos. E sem amor. A minha gente, quase muda, vive numa casa velha de fazenda. As pessoas adultas, preocupadas com o estômago, não tem tempo de abraçar-se. Até a cachorra [Baleia] é uma criatura decente, porque na vizinhança não existem galãs caninos”. VIDAS SECAS é o livro em que Graciliano, visto como antipoético e anti-sonhador por excelência, consegue atingir, com o rigor do texto que tanto prezava, um estado maior de poesia.

BENTO_1314808721BBento – André Vianco (resenha)

Sinopse: Uma noite começa como outra qualquer e entra para a história da humanidade, quando metade dos seres humanos adormece de forma profunda e inexplicável. Tratada como uma epidemia, a doença desencadeia um caos sem precedentes nas cidades do mundo. O pesadelo parece não ter fim quando a porção de humanos livres do sono descobre que está dividindo a noite com demônios da escuridão. Esse mundo, novo e sombrio, é apresentado pelos olhos de Lucas, um homem que desperta nesse tenebroso cenário e que se tornará, mesmo contra sua vontade, um poderoso e venerado guerreiro, lutando contra os vampiros e liderando os humanos ao encontro dos quatro milagres que libertarão a Terra da terrível maldição. Bento é um dos livros mais aclamados pelos leitores de André Vianco, tanto pela aventura vertiginosa como pelas personagens cativantes. É uma passagem certeira para um mundo de fantasia e imaginação.