Publicado em Eu li, Projetos de Leitura

{Conhecendo Cervantes} Novelas exemplares: Novela do ciumento da estremadura e Novela da ilustre fregona

Oi pessoal! Mais um post sobre duas novelas presentes no livro Novelas Exemplares, dessa vez falarei sobre a Novela do Ciumento da estremadura e a Novela da ilustre fregona. Esse post faz parte do projeto Conhecendo Cervantes que também inclui a leitura de Dom Quixote.

18254449_1480685845338731_212869109_nEu adorei a primeira novela, mesmo o final não sendo tão interessante para mim. Nessa novela temos um cara que leva o ciúme ao extremo e com isso se dá mal (ótima lição de que isso não vale a pena). Ele começa a história rico, mas gasta tudo (não é lá muito esperto) mas depois reconquista riquezas indo para as Índias. Que segundo Cervantes era (…)refúgio e amparo dos desesperados da Espanha igreja dos falidos, salvação dos homicidas, couto e ninho de jogadores (…). Mas mesmo assim ele não conseguiu uma vida tranquila e resolve arrumar uma esposa mesmo já tendo cabelos brancos. Só que ele é um cara ciumento e compra a mão de uma mocinha e a mantem dentro de quatro paredes para que ninguém a veja. É claro que isso não dá certo.

A segunda novela eu já achei muito enrolada e com temas repetidos das outras, aquelas reviravoltas de paixão e parentesco. Temos novamente uma jovem muito bela que “trabalha” numa estalagem, não faz muita coisa ali, mas os patrões a amam e ninguém sabe sua história. Misturado a isso temos dois amigos que apesar de ricos querem viver livremente e sem pouco, fogem de seus pais e acabam indo parar na estalagem, um se apaixona perdidamente e tenta conquistar a moça. Aí temos várias reviravoltas.

~ Compre o livro Novelas Exemplares na amazon  ajude o blog: clique aqui.

{news} Eu li notícias literárias da semana

5ª edição da Flupp começa com atração de realidade virtual
Com projeto que apresenta perspectiva de moradores da favela, evento literário aposta em novas narrativas. Fonte: O Globo. Continue lendo

Tradutora de ‘Grande Sertão: Veredas’ para o inglês consegue apoio financeiro
Alison Entrekin estava em busca de financiamento para seu ambicioso projeto de verter a obra-prima de Guimarães Rosa. Fonte: Estadão. Continue lendo

Coleção reúne início de carreira promissor de Alan Moore. Fonte: Folha de S.P. Continue lendo

Confirmada a atriz que será Robin Ellacott na série policial de JK Rowling
THE STRIKE SERIES – A atriz britânica Holliday Grainger foi escolhida para viver Robin Ellacott junto a Tom Burke, que vai interpretar o detetive Cormoran Strike em “The Strike Series”. Alguns de seus papéis conhecidos incluem Lucrezia Borgia, na série Os Borgias, e Bonnie Elizabeth Parker em Bonnie & Clyde. A série vai adaptar os três romances policiais de JK Rowling, escritos sob o pseudônimo de Robert Galbraith. Fonte: Literaturapolicial.com. Continue lendo

Morre, no Rio, o escritor e roteirista Max Mallmann
Autor de romances históricos, ele colaborou em novelas e séries da Rede Globo. Fonte: O Globo. Continue lendo

Rita Lee lança autobiografia, em que fala com irreverência do mundo pop, drogas, aborto e estupro. Fonte: Estadão. Continue lendo

Primeiros romances policiais de Leonardo Padura ganham nova edição. Fonte: Folha de S.P. Continue lendo

É oficial! Johnny Depp será o vilão Grindelwald na franquia Animais Fantásticos e Onde Habitam
David Yates confirmou a informação! Fonte: Adoro Cinema. Continue lendo

 

Publicado em Eu li, Halloween

{euLi} O médico e o monstro – Robert Louis Stevenson #Halloween

o-medico-e-o-monstroSinopse: Publicado em 1886, em Londres, O Médico e o Monstro pode ser interpretado como uma alegoria do conflito entre a rigorosa moralidade vigente do século XIX e os desejos por ela reprimidos, próprios da natureza humana. Não por menos, Stevenson optou por chamar de Sr. Hyde (de hidden, ‘oculto’ em inglês) a faceta monstruosa que dominava de tempos em tempos a personalidade pacata do correto e respeitado Dr. Henry Jekill.

Eu gostei de ler esse livro e finalmente conhecer a história por trás de Jekill e Hyde. Infelizmente quem lê o livro hoje, não tem mais a surpresa de descobrir que eles são a mesma pessoa de tão falada que a história é. Acho que isso me influenciou porque fiquei esperando que acontecesse mais alguma coisa no final, então o livro não se tornou um dos meus favoritos.

O mais interessante é a forma como é abordado o bem e o mal que existe dentro de cada pessoa. Jekill é um bom cientista, amigável que quer ajudar as pessoas, mas tem dentro de si uma vontade de fazer coisas moralmente inaceitáveis para época. Vem daí sua brilhante (só que não) ideia.

Quem conduz a história é o Dr. Utterson, um advogado muito amigo de Jekill. Ele ouve uma história horrível relacionada a Hyde e fica querendo saber porque seu amigo tem relação com essa pessoa. Henry desconversa mas outros acontecimentos aguçam a necessidade de saber do amigo até o final e a grande revelação.

 

Não deixem de comentar 😉

Publicado em Eu li

{euLi} A volta de Sherlock Holmes – Arthur Conan Doyle

SHERLOCK_HOLMES_1440118831520963SK1440118831BOi pessoal! Hoje vamos continuar falando sobre Sherlock Holmes, chegamos ao terceiro volume do box. Vou deixar os links para os posts anteriores lá no final da página. Nesse volume há dois livros e hoje vou falar sobre o primeiro, A volta de Sherlock Holmes (1905), um livro de contos.

Vídeo sobre o livro no final da página ou clicando aqui.

Como sugeri o título, o primeiro conto A casa vazia conta o retorno do nosso personagem principal. Watson com muito pesar escreveu anteriormente como ele teria morrido junto com Moriarty (isso está escrito em vários lugares, até no sobre o autor, então não tem como fugir muito desse spoiler). Esse conto revoltou os fãs da série e Conan Doyle voltou com o personagem. Então em A casa vazia, Holmes conta para Watson como ele escapou, mas que ainda tem inimigos terríveis, os vilões ligados ao Professor Moriarty. E assim esse primeiro conto gira em torno disso, junto com um caso e o desenrolar é muito bem pensado.

Diferente da série Sherlock, Watson tem uma reação bem passiva e amistosa com Holmes e em nenhum momento fica chateado por ter sofrido atoa e seu único sentimento é de alívio. Na série ele fica bem ofendido e caba brigando com Holmes, o que é mais divertido de assistir. *Assisti a terceira temporada e o episódio extra da série Sherlock da BBC e me diverti muito. Há muitas referências aos contos que você só pega depois que lê, para mim é uma adaptação muito bem feita.

Os outros contos continuam narrando algumas aventuras dos dois, curiosamente todos eles tem o nome de A Aventura de…(da ou do). E são o que são realmente, nem em todos os casos o fim dependerá da resolução de Sherlock. Em alguns mesmo ele resolvendo o mistério, o fim do vilão acaba não sendo a cadeia e depende de outros personagens. O que deixa cada conto muito interessante. É claro que alguns são melhores do que outros e prendem mais o leitor.

Falando do próprio Sherlock, continuamos vendo seu descaso com a própria saúde através da preocupação de Watson. “Meu amigo não tomou o café da manhã, pois uma de suas peculiaridades era que em seus momentos mais intensos ele não se permitia nenhuma comida, e eu sabia que confiava demais na sua força de ferro, até que desmaiava de inanição”. Além do problema da á alimentação, há como já comentei o das drogas. Nesse livro há um conto em que Watson conta que fez um esforço para afastar o amigo delas, mas que vê sempre ali um fantasma.

Em alguns momentos Sherlock é um péssimo amigo, ou aparenta ser, delegando a Watson casos e tarefas que ele não acha importante ou não tem interesse. E os resultados do doutor são sempre tachados de inferiores pelo detetive, mas acabam ajudando de outra forma. Mas Holmes também tem omentos que demonstra grande afeto pelo seu auxiliar, acredito que principalmente pela capacidade de Watson de aceitar quem ele é e até prever alguns de seus movimentos.

Há vários clientes ilustres nesse livro e Watson está sempre ressaltando que alguns casos demoram a ser retratados por isso. Alguns clientes pedem sigilos e alguns casos exporiam dramas familiares. Então são adiados. Isso tudo dá um clima muito real as publicações. É o caso de contos muito bons como A aventura de Charles Milverton que retrata um chantagista, que “ataca” principalmente mulheres com “deslizes” (para a época) o passado. Um cara considerado da pior espécie por Holmes. E também o conto A aventura da segunda mancha, que conta do sumiço de uma carta que traria grandes males a Inglaterra se revelada. Os dois tem fins inesperados e bons.

Em A aventura da segunda mancha descobrimos que no presente Holmes já está aposentado, vivendo em uma fazenda em Sussex Downs criando e estudando as abelhas. E que não tem mais interesse que seus trabalhos anteriores sejam contados ao público, mas é algo que Watson vai driblando. Outros contos que gostei bastante foram: A aventura dos homenzinhos dançantes, A aventura do pincenê dourado, da ciclista solitária, e dos seis Napoleões (esse porque é bem curioso e eu consegui adivinhar o motivo).

Anteriormente sobre Sherlock e Watson:

Um estudo em vermelho
O signo dos quatro
As aventuras de Sherlock Holmes
Memórias de Sherlock Holmes
O cão dos Baskerville