Publicado em Eu li

[euLi] Amor Amargo – Jennifer Brown

AMOR_AMARGO_1441839044519211SK1441839044BSinopse: Último ano do colégio: a formatura da estudiosa Alex se aproxima, assim como a promessa feita com seus dois melhores amigos, Bethany e Zach, de viajarem até o Colorado, local para onde sua mãe estava indo quando morreu em um acidente. O Dia da Viagem se torna cada vez mais próximo, e tudo corre conforme o planejado. Até Cole aparecer. Encantador, divertido, sensível, um astro dos esportes. Alex parece não acreditar que o garoto está ali, querendo se aproximar dela. Quando os dois iniciam um relacionamento, tudo parece caminhar às mil maravilhas, até que ela começa a conhecê-lo de verdade…

Gente essa resenha vai ser com spoilers porque não dá, se você vai desistir de ler o post por isso só peço então que dê uma chance para o livro que apesar da escrita da autora ser bem básica o tema é bem importante e o livro cumpre muito bem o seu papel.

Nesse livro nós ficamos conhecendo a Alex e seus dois melhores amigos e o quanto eles se amam. Mas nem todos os relacionamentos são fáceis para ela, já que o pai e as irmãs são bem afastados e a mãe dela morreu em um acidente de carro bem esquisito. Ela sente muita falta de diálogo dentro de casa. Também nunca tinha namorado, então fica encantada com Cole de cara, ele se mostra muito atencioso e apaixonado mas acaba se transformando em um namorado possessivo e agressivo. Ele a ofende, a agride, ofende seus amigos, e a gente tem que tomar muito cuidado na leitura para não chamar a Alex de burra e fechar o livro.

Ela não é burra, mas está presa em um relacionamento abusivo que a faz se sentir inferior e culpada. Isso acontece com muita gente, e tem que ter empatia para entender a história dela. Nós acompanhamos seus sentimentos o tempo inteiro e é bem triste de ver ela se sentir culpada pelas agressões que vai sofrendo, sempre arrumando um jeito de desculpar Cole que aos poucos vai se tornando um monstro.

Eu estava morrendo de vergonha. Não conseguia nem me imaginar contando aquilo para alguém. Aquilo me fazia parecer idiota, ingênua e carente, e eu sabia que não era nenhuma dessas coisas. Sabia que a explicação não era assim tão simples. Mas ninguém entenderia.

Me irritei muito com a Alex, principalmente, quando ela se afasta dos amigos e deixa Cole ser um tremendo babaca com eles. No começo o afastamento parece natural, já que agora ela tem que dividir o tempo que era todo dos amigos com o namorado, mas depois ele começa a impor isso e a maltrata-lá.

O controle era todo de Cole. Toda e qualquer guinada no relacionamento era orquestrada por ele. Era ele quem estava no comando. Era ele quem ditava as regras e dava as ordens.

Ela reconhece o problema e se sente dominada, mas acaba tentando fazer com que ele não sinta raiva e agindo como ele quer, porque há sempre uma desculpa, ele também tem problemas familiares, ele é carinhoso, ele isso… ele dá flores, ele foi no analista. Meninas se você está com qualquer problema assim, se abra com alguém, a culpa nunca é sua. Não se arrisque tanto.

A autora explorou muito bem o tema, a gente consegue entender a dimensão do problema e tudo isso numa narrativa que flui e você lê e consome num piscar de olhos. Não é nenhuma escrita incrível como eu disse, mas acerta o alvo, põe pra pensar no tema, humaniza o. É diferente você saber de um caso e estar dentro da cabeça de uma personagem passando por isso, uma adolescente ainda por cima que já tem que lidar com várias questões da idade. O livro é voltado para os mais jovens, então talvez  a escrita simples facilite a disseminar essa história.

No final do livro ela explica seus objetivos e porque escreveu o livro e ainda traz várias perguntas para você saber identificar uma situação como essa, caso você ou um amigo esteja passando. Nota 10 isso! Leiam!

Meu objetivo era encontrar a resposta para a pergunta mais comum nesses casos: porque ela simplesmente não rompe o relacionamento? Inúmeras vezes ouvi a mim mesma dizendo coisas como: “Jamais permitiria que alguém abusasse de mim. Agrida-me uma única vez e caio fora!”. Na verdade ouvi várias mulheres dizerem coisas parecidas às vezes ficava me perguntando quantas mulheres, que continuaram reféns de um relacionamento abusivo por não terem a menor ideia de para onde ir ou do que fazer , tinham dito: “Jamais permitiria…” ou “Se algum dia um cara me agredir…”.

(…) Da mesma forma, na maioria das vezes, também não é por motivos racionais que permanecemos neles, amamos e, porque amamos, a coisa pode se tornar mais complicada do que uma questão de simplesmente “permitir”.

Publicado em Projetos de Leitura

{ConhecendoCervantes} Dom Quixote – Final

No fim de maio terminei de ler O Engenhoso Fidalgo Dom Quixote de La Mancha de Miguel de Cervantes, e virou um dos meus livros favoritos. Apesar de em alguns momentos a leitura ser mais lenta, principalmente o segundo volume me conquistou de vez. Essa e outras leituras da obra de Cervantes fizeram parte do projeto Conhecendo Cervantes que também incluiu a leitura de Novelas Exemplares (ainda falta um post sobre a vida de Cervantes!).

Confira os vídeos anteriores.

Essa parte vai tratar do fim do governo do Sancho, muito interessante os capítulos sobre isso, porque ele não aguenta mais ser vigiado no que come e uma guerra arranjada contra sua “ilha” o faz perceber que isso não combina com ele. É bem bacana que ele faz questão de frisar que “nu chegou e nu vai embora”, ou seja, não lucrou nada com seu governo, não fez empréstimos nem desviou nenhum dinheiro para si. Quem dera tivéssemos mais governantes assim,  apesar da desistência, ele estava fazendo um ótimo trabalho. O narrador chega a dizer que as leis criadas por ele são famosas e consideradas boas.

Uma parte muito divertida é quando Sancho, ainda governador, escreve para sua esposa Teresa contando do seu novo status. Junto com a carta do marido ela também recebe uma da duquesa. Apesar de no começo dizer a Sancho para não procurar por uma situação social diferente das que eles nasceram, a coisa muda totalmente. E suas respostas apesar de muito cordiais, são motivo de risada para os nobres, o que me deixou muito incomodada com a atitudes deles. Fica claro que apesar de soarem bondosos demais, eles acham que a dupla e seus familiares são peças para eles brincarem como querem.

Sancho volta para Dom Quixote, e era o que faltava para o fidalgo decidir sair das comodidades do conforto da casa do Duque. Ele presa muito a sua liberdade e sabe que tem outros deveres a cumprir. O trecho sobre isso é de uma filosofia pura, um tratado sobre a liberdade (eu li uma passagem no vídeo, se você não quiser assistir todo confira: 12:05).

Eles ainda se envolvem em algumas aventuras antes de retornar para casa, conhecem bandoleiros, ricos fingindo serem pastores, nobres querendo cuidar deles e zombar deles ao mesmo tempo… Até que um outro Cavaleiro (fake, já conhecido) o desafia e derrota Dom Quixote, a derrota exige que ele volte para casa e fique por lá um ano, isso deixa ele arrasado e para mim é o motivo do que acontece no final.

Antes do fim ainda temos a descoberta de Dom Quixote de que há uma versão falsa sua e de Sancho andando por aí e um livro sobre eles, é engraçada a forma como ele lida com isso e esse livro escrito por outro autor realmente existiu segundo o texto introdutório.

Foi uma leitura grandiosa para mim, cheia e lições que vão ficar na minha cabeça por muito tempo. Todo esse lado sonhador e libertário nos ensina a dar asas as nossas vontades, e também a ajudar os outros e ser justo.

Publicado em Eu li

{euLi} A máquina de contar histórias -Maurício Gomyde

A_MAQUINA_DE_CONTAR_HISTORIAS_1401363728BSinopse: Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias , o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das filhas, sem amigos… O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar.
Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família.

Esse livro foi a leitura de abril do meu grupo de leitura Pacto Literário (antes Nome Provisório). Eu demorei a começar a leitura, eu ouvi alguns amigos dizendo que choraram já no começo, confesso que fiquei com medo do livro ser muito apelativo nesse sentido. Eu sou meio difícil de chorar lendo, mesmo emocionada, e passei o começo ok, apesar da perda que os personagens sofrem. Foi um livro que demorou um pouco a me conquistar, porque os personagens já começam sofrendo antes de eu ter aquela preocupação forte por eles. Comecei a gostar mais do livro quando eu vi que o grande foco da história era um pai tentando reconquistar as filhas, e no fim quando o autor faz várias conexões nas atitudes dos personagens que não posso contar quais.

Todos na família tem nome com V, o casal Vinícius e Viviana tem uma relação de apoio e feliz e são pais da Valentina e da pequena Vida. Tudo ia relativamente bem, apesar de Vinícius trabalhar demais, até Viviane descobrir um câncer. Nosso pai em vez de dar todo apoio a elas, se distancia ainda mais e se afunda na carreira para fugir do problema, isso gera uma revolta totalmente compreensível por parte de Valentina que viu a mãe morrer sozinha.

No começo temos muitas lamentações de Vinícius, aquelas famosas lamentações depois que não adianta mais, e ele dizendo que não sabe o que a Valentina pensa e que ela não se abre. Sendo que ela gritou na cara seus motivos. Não entendi o que ele não estava entendendo. Mas depois que ele passa de fato a lutar pelo amor das filhas e viaja com elas para tentar concertar as coisas e ter um tempo só com elas é que o livro todo melhora.

Também é um livro que debate o papel do escritor, se ele deve escrever com técnica pra vender ou com o coração e pela arte, ou os dois e se dá para ser as duas coisas. Vinícius é um escritor prestigiado por muitos fãs, um “Nicholas Sparks brasileiro”, e escreve romances que levam todas as lágrimas. Mas como ele pode ser isso e ser tão frio com a família? Ele é super metódico para escrever e reconhece que escreve de forma fria para atender resultados. Uma vez uma professora quando percebe que ele escreve bem o dá um livro de técnicas, o que era um empurrão acaba virando sua bíblia. Com toda a mudança para reconquistar as filhas ele acaba se deparando com a escrita de Valentina, caótica mas cheia de emoção e força. E essas meninas ensinam muito para ele.

É um livro que vai falar de perda e de perdão. Aquilo de que os pais também são seres humanos que erram bastante e que você deve ser capaz de perdoar são temas importantes.

Junho água com açúcar

0]

Leitura em grupo do #PactoLiterário (cliqueaqui)

18835852_1932337260125277_6469018423776222532_n

{News} Eu li notícias literárias da semana

 

Morre o crítico literário Antonio Candido, aos 98 anos
Vencedor de prêmios como o Jabuti e o Camões estava internado em São Paulo. Fonte: O Globo. Continue lendo

Livro narra história que Jorge Luis Borges improvisou para uma turma de escola, cinco anos antes de morrer
‘O segredo de Borges’ acaba de ser lançado em Buenos Aires. Fonte: O Globo. Continue lendo

Livro infantil de Clarice Lispector ganha ilustrações da neta da autora
Marina Valente assina o projeto de ‘A Mulher que Matou os Peixes’. Fonte: Estadão. Continue lendo

‘A Hora da Estrela’ faz 40 anos e ganha edição com manuscritos de Clarice Lispector
Volume traz anda crônica de Paloma Vidal sobre seu encontro com os manuscritos e ensaios de pesquisadores brasileiros e estrangeiros. Fonte: Estadão. Continue lendo

Mr. Mercedes ganha data de estreia oficial
Programa será lançado em agosto nos EUA. Fonte: Omelete. Continue lendo

10 livros favoritos de Stephen King
A tentativa de adivinhar quais são as obras favoritas de um escritor pode ser menos óbvia do que se espera. Seria natural supor que Stephen King, o aclamado autor de Carrie, a estranha e O Iluminado, é grande fã de Edgar Allan Poe ou talvez J. R. R. Tolkien, ambos responsáveis por criar universos sombrios com situações sobrenaturais e forças do mal, algo parecido com boa parte de sua obra. Fonte: Galileu. Continue lendo

[ARTE] Exposição inspirada nas obras de Stephen King. Um arrepiante mergulho em seu mundo
Já pensou como seria uma exposição inspirada em Stephen King? Pois bem, alguém pensou, e realizou. Diversos artistas, cada um em seu estilo, uniram-se para criar uma exibição inspirada nas obras do mestre do terror. Fonte: Nerd Geek Feelings. Continue lendo

7 histórias em quadrinhos baseadas em clássicos da literatura nacional
Releituras das obras de alguns dos autores mais emblemáticos da literatura do Brasil. Fonte: Galileu. Continue lendo

Paquistanesa de 13 anos cria projeto para ler um livro de cada país
Aisha Esbhani já leu obras de 80 países, incluindo o Brasil. Fonte: Galileu. Continue lendo

Jojo Moyes defende que suas histórias de amor são também políticas
Escritora que mais vendeu no Brasil no ano passado vem ao país pela primeira vez. Fonte: O Globo. Continue lendo

Bill Clinton e James Paterson estão escrevendo um suspense juntos
Lançamento está previsto para 2018. Fonte: O Globo. Continue lendo

Convidado da Flip, Luaty Beirão defende o uso da palavra contra a opressão
Ativista e rapper angolano passou um ano preso por combater a ditadura em seu país. Fonte: O Globo. Continue lendo

Marilda Castanha ganha prêmio na Coreia
Autora venceu na categoria Purple Island do Nami Concours com o livro ‘Sem fim’. Fonte: Publishnews. Continue lendo

Participe do grupo de leitura Pacto Literário, todo mês uma leitura nova em conjunto!

18198719_1479548445452471_2529733457812093432_n

E a votação para o livro d junho já começou, acesse, peça para participar e vote! (aqui)

Publicado em Projetos de Leitura

{ConhecendoCervantes} Dom Quixote – Vol2

O_ENGENHOSO_FIDALGO_DOM_QUIXOT_14810785041634SK1481078504BOi pessoal! Hoje vamos voltar a falar de O Engenhoso Fidalgo Dom Quixote de La Mancha, para quem não sabe ainda, temos o projeto Conhecendo Cervantes sobre esse livro e também sobre Novelas Exemplares (confere nessa playlist o que já falamos). O livro sobre Dom Quixote na verdade é composto de dois volumes, e depois de falar do primeiro, chegou a hora de falar sobre o segundo. Eu dividi essa leitura em mais ou menos 24 capítulos por post/vídeo (confira o cronograma), então hoje vamos até o capítulo 24.

O autor já começa no epílogo comentando sobre esse tal livro de Dom Quixote que circulou escrito por um outro autor, e de como isso não ameaça em nada seus lucros e sua fama e que ele não vai perder tempo ofendendo o outro autor. Mas ele conta a resolução que ele teve para o final desse livro e que evitaria esse tipo de coisa.

Como terminou o outro volume Dom Quixote está em casa recebendo os cuidados da sobrinha e da empregada que não querem que ele saia mais de casa e se envolva em maluquices. Também estão preocupados os amigos,principalmente, o cura e o barbeiro. Eles até ficam com raiva de Sancho quando ele vem visitar o mestre, achando que ele que incentiva essas viagens. O fiel escudeiro explica para o mestre qual a opinião das pessoas sobre ele a pedido dele.

_No que toca_ prosseguiu Sancho _ a valor, cortesia, façanhas, e missão de Vossa Mercê, há mui diversar opiniões: uns dizem “louco, mas gracioso”, outros, “valente, mas desgraçado”; outros , “cortês, mas impertinente”; e assim vão discorrendo, de tantas formas e feitios que nem a Vossa Mercê nem a mim nos deixam costela inteira.

Mas também aparece um outro personagem, Bacharel Carrasco, que parece a princípio incentivar essa loucura, e ainda conta para Quixote que há um livro sobre ele contando todas as suas façanhas até agora. E o livro bate com o que a gente leu no primeiro volume.  Mas que depois descobrimos que faz parte da trama para que ele fique em casa, e que pode até vir a aparecer como vilão porque ficou com raiva do fidalgo.

Em alguns capítulos dessa parte nosso tradutor vai dizer que o tradutor acredita que sejam inverossímeis, alguns por que Sancho vai dizer coisas muito profundas para o personagem e outros que acontecem coisas malucas demais para Dom Quixote dizer que foi assim que aconteceu. O que é bem irônico porque as coisas quem o fidalgo contam são sempre meio malucas mesmo, não vi diferença.

Temos uma parte em que Dom Quixote viaja a Toboso pra encontrar sua amada, mansão faz ideia de onde ela mora, e acredita que Sancho sabe e tem que apontar o caminho. Para se ver livre disso, Sancho que nunca a viu, inventa que ela é uma camponesa que vem vindo e como Dom Quixote não acredita, diz que ela tá enfeitiçada aos olhos dele para ele não reconhecer. Isso da feitiçaria de um “necromante” que sempre atrapalha Dom Quixote é um recurso que aparece muito ao longo da história, usado como desculpa oras por um oras pelo outro.

Pontos interessantes que acontecem nessa história: um duelo em que milagrosamente Dom Quixote ganha, é claro por sorte, mas que ele fica se achando; um casamento que sai totalmente fora do esperado e que ele acaba ajudando só com a sua coragem; ele entra numa caverna e lá dentro vê maravilhas e acha que passou dias mas só ficou uma hora; a amizade com uma família que fica na dúvida se ele é louco ou muito sábio.

É um louco com intervalos lúcidos.