Publicado em Eu li, Outros

{euLi} Um estudo em vermelho – Arthur Conan Doyle #Sherlock1

SHERLOCK_HOLMES_1440117798520956SK1440117798BSinopse: O cadáver de um homem, nenhuma razão para o crime. É a primeira investigação de Sherlock Holmes, que fareja o assassino como um “cão de caça”. Lamentava-se de que “não há mais crimes nem criminosos nos nossos dias”, quando, nesse instante, recebe uma carta a pedir a sua ajuda — o cadáver de um homem foi encontrado numa casa desabitada, mas não há qualquer indício de roubo ou da natureza da morte. Sherlock Holmes não resiste ao apelo, mas sabe que o mérito irá sempre para a Polícia. Um Estudo em Vermelho (1887), de Arthur Conan Doyle (1859- 1930), é a estreia de Holmes. A história foi editada pela primeira vez na revista Beeton’s Christmas Anual e logo fascinou inúmeros leitores, para quem o endereço do detetive — 221B Baker Street, Londres — se tornou uma das ruas mais famosas da literatura. As deduções do investigador são narradas pelo seu amigo, o Doutor John Watson, uma espécie de Sancho Pança de Holmes.

Hoje começamos a falar aqui das histórias de Sherlock Holmes escritas pelo Arthur Conan Doyle. Eu tenho o box publicado pela Nova Fronteira e ele é dividido em 4 volumes, no primeiro temos os livros: Um estudo em vermelho (romance, 1887), O sinal dos quatro (romance, 1890) e As aventuras de Sherlock Holmes (contos, 1892). Esse é um personagem muito conhecido e que eu já gostava, mas ainda não tinha lido nenhum dos livros, só visto filmes e outras adaptações. É claro que hoje há muitos outros livros que usam o personagem, seja já velhinho ou na adolescência. Tem até Sherlock no Brasil, no livro de Jô Soares  O Xangô de Baker Street.

Você também pode conferir o que achei em vídeo lá no canal, clique aqui.

Ele próprio e sua aparência chamavam a atenção do observador mais desatento. Tinha mais de 1,80 de altura, mas a magreza excessiva fazia com que parecesse ainda mais alto. Seus olhos eram atentos e penetrantes, exceto durante aqueles intervalos de torpor a que já me referi; e o nariz delgado, aquilino, dava a fisinomia um ar de vigilância e determinação.

E eu vou fazer um post para cada livro dentro do volume, então hoje falaremos do livro Um estudo em vermelho. Como diz a sinopse essa é a primeira história de Sherlock e nela vemos como ele conheceu Watson, como decidiram morar juntos e junto com Watson somos introduzidos no mundo da dedução. Sherlock é bem excêntrico e isso faz Watson desconfiar dos seus métodos no início. Mas logo ele fica fascinado como o leitor com o poder de dedução de Sherlock. Para o detetive só devemos ocupar a cabeça com informações úteis, assim Watson percebe como ele pouco sabe de áreas que ão afetam seu trabalho.

Para mim, o cérebro de um homem, originalmente, é como um sótão vazio, que deve ser entulhado com móveis que escolhemos. Um tolo o enche com todos os tipos de quinquilharia que vai encontrando pelo caminho, a ponto de os conhecimentos que lhe seriam úteis ficarem soterrados ou na melhor das hipóteses, tão misturados às outras coisas que ficaria difícil selecioná-los.

A história é contada nos diários do Watson, ele começa a registrar os trabalhos de Sherlock e também a se envolver nas tramas. Sherlock explica como funciona a dedução e resolve o caso deixando todos de boca aberta. Além dos textos de Watson, para entender o assassinato misterioso é narrado no livro, antes das grades revelações de Sherlock, a história dos personagens envolvidos e isso é bem bacana. É uma história cheia de reviravoltas envolvendo a comunidade Mórmon e o fanatismo religioso. No começo fiquei “ai não, queria logo saber da explicação do Sherlock e o livro me vem com uma historinha quebrando o clima”, mas me surpreendi torcendo pelos personagens mesmo sabendo que aquilo ali não ia acabar bem.

Sherlock não se preocupa com a opinião dos outros, não tenta nem de longe ser modesto quanto a seus dons. Ele até menospreza outros detetives da literatura quado Watson tenta compará-lo. Ele realmente acredita na dedução e em suas capacidades.

Como todas as artes, a Ciência da Dedução e da Análise só pode ser adquirida após um aprendizado demorado e  paciente, mas a vida não é suficientemente longa para permitir que algum mortal atinja a perfeição esse campo.

Ler os livros me fez repensar o que já assisti de Sherlock, e em relação aos filmes é claro que lembrei logo dos últimos dois com Robert Downey Jr. e Judie Law, como Sherlock e Watson. Revi o primeiro filme e é bacana pelas interpretações, mas é mais uma história de ação quase, embora no final tenha o raciocínio do Sherlock.

Mas para mim o Sherlock que mais me lembra o do livro é o da série Sherlock da BBC, que eu tenho que voltar a assistir (é curtinha, 3 episódios por temporada, mas acho que não vi os da terceira e já está na quarta). Nela a história se passa nos dias atuais e temos  Benedict Cumberbatch como Sherlock Holmes e Martin Freeman como Doutor John Watson. Adoro os dois nos papéis. E se não me engano a forma como eles se conhecem lembra bem a do livro.

E eu quero muito ver e ler Sr. Holmes, provavelmente farei isso após terminar de ler tudo do Conan Doyle. O livro é de Mith Cullen conta a história de Sherlock já velhinho e aposentado em uma fazenda em Sussex. “Intercalando lembranças de relacionamentos importantes que Holmes teve ao longo da vida, seus casos de amor, as amizades e um inesperado sentimento paternal, o romance de Mitch Cullin explora o lado humano de um Sherlock Holmes colocado diante dos surpreendentes mistérios da vida e da morte, sobre os quais ele ainda não tem a menor pista. Reflexões que, na voz de Holmes, mostram o efeito indelével que o envelhecimento exerce sobre o modo como enxergamos o mundo”. E o filme baseado no livro, foi laçado ano passado e traz Ian McKellen (<3) como Sherlock.

Bem por enquanto é só Em breve volto com a segunda história sobre Sherlock, O sinal dos quatro. Fica o convite que vocês leiam para discutirmos a história! beijos

Anúncios

Autor:

Estudante de Jornalismo na UFF, leitora voraz, que gosta muito de dividir com os amigos o que lê, o que gosta de ler e o que amou ler.

23 comentários em “{euLi} Um estudo em vermelho – Arthur Conan Doyle #Sherlock1

  1. Oi Thami, tudo bem?

    AAAAh, o Sherlock é um personagem muito icônico e confesso que amo a excentricidade dele. HAHAHA’
    Assim como você, ainda não tive nenhum contato com os livros, só as adaptações, mas ainda assim adoro a história dele.
    Espero ter a oportunidade de ler os livros também.

    Parabéns pela matéria, estarei te acompanhando nessa jornada aí.

    Um abraço
    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

  2. Thamiris, toda vez que sai uma resenha sua sou obrigado a anotar a dica, estou faz anos ensaiando para começar a ler Sherlock e comecei recentemente a assistir a série que você citou na resenha, nossa que série boa!
    Adorei sua resenha e vou acompanhar a dos próximos livros, assim que esse box entrar em promoção corro para comprar kkkkkk

    1. Ah Lucas, obrigada! Tbm estou sempre anotando suas dicas, identificação total ! rsrs Estou me surpreendendo bastante com SHerlock, você crente que sabe tudo, acabei de descobrir que ele usava drogas qndo estava muito entediado oO Que bom que gostou da série! Vou rever e ver os que faltam tbm. O box na amazon tá 64,90!

  3. Parabéns pelo post. Se você gosta das aventuras de Sherlock pode, provavelmente, gostar de Crimes da rua Morgue (ou assassinatos da rua Morgue) de Edgar Allan Poe e outros contos policiais dele. É uma dica.
    Abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s